.comment-link {margin-left:.6em;}

2009-02-06

 

A crise não vai toda no mesmo sentido..E ainda bem

É o caso. Acabo de ler que está aí uma crise de falta de vocações sacerdotais. Faltam no mínimo padres em 1100 paróquias.

Aí está um bom emprego (perdoem-me, uma vocação).

A Igreja pode actualizar-se e fazer como na Marinha e na Força Aérea. Durante algum tempo antes do recrutamento é uma série de anúncios, até por vezes, enfastiante.

A Juventude parece não estar muito virada para aí. Mas se derem algum tolerância, umas saídas nocturnas, uns convívios e uma perspectiva e tolerância de vida mais terrena, mais normal, não deixando tudo para ser gozado no céu, de certeza que nascerão vocações empenhadas no múnus espiritual.


Comments:
E as mulheres ficam de foram desse "bom emprego"? Ou será "bom negócio"? Esta discriminação é o retrato desta santa mentalidade de sacristia de batina, melhor, de vestido às pregas para tapar as calças de macho (?)escondidas por baixo.
É muito bem feito que a Igreja leve com os pés. A mim, os padres, não me fazem falta nenhuma...
Fiquei com o estômago às voltas de desde o processo do Padre Frederico e de outras histórias de abuso sexual de menores.
Antónia Luísa Vaz
 
Ainda não chegamos a Inglaterra, país amigo, de onde correm com os portugueses das refinarias, mas onde felizmente as mulheres podem exercer funções sacerdotais (será que estou enganado?) ou pelo menos os padres anglicanos podem casar.
Neste cantinho católico, por decisão do Vaticano,empregos destes por enquanto só para homens.
João Abel de Freitas
 
Neste campo os militares evoluíram. Mulher a bordo já não dá azar.
Azar da Igreja...
 
Mas outros campos registam também evoluções quanto à mulher não dar azar. Até no Alentejo já podem descer ao fundo da mina.Conquista relativamente recente.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?