.comment-link {margin-left:.6em;}

2009-09-13

 

BABEL E SIÃO

E que tal um momento de poesia?
Modéstia à parte mas saiu-me bem...
________

Sôbolos rios que vão
Por Babilónia, me achei,
Onde sentado chorei
As lembranças de Sião
E quanto nela passei.

Ali, o rio corrente
De meus olhos foi manado;
E, tudo bem comparado,
Babilónia ao mal presente,
Sião ao tempo passado.

Ali, lembranças contentes
Na alma se representaram;
E minhas cousas ausentes
Se fizeram tão presentes,
Como se nunca passaram.

Ali, depois de acordado,
Co'o rosto banhado em água,
Deste sonho imaginado,
Vi que todo o bem passado,
Não é gosto, mas é mágoa.

E vi que todos os danos
Se causavam das mudanças
E as mudanças dos anos;
Onde vi quantos enganos
Faz o tempo às esperanças.

Ali vi o maior bem
Quão pouco espaço que dura;
O mal que depressa vem,
E quão triste estado tem
Quem se fia da ventura.

.........
Comments:
Saíste-te muito bem. Parabéns. Já me tinham contado que tinhas escrito em coautoria com o Luis Vaz...mas não queria crer.
Vi logo, pelo IP, que vinha muito de trás.
 
Os versos são bons. Não me gabo. E digo mais, postei-os com grande facilidade. Outros momentos de marítima e oriental inspiração aqui trarei se a tanto me ajudar o engenho e arte.
Obrigado pelo incentivo:))
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?