.comment-link {margin-left:.6em;}

2005-08-13

 

OTA e TGV (5)

Será necessário ir à bruxa para perceber que a campanha bloguística de Pacheco Pereira a propósito da Ota releva mais do ataque partidário-PSD ao Governo PS-de-Sócrates do que de um inocente intuito de dar a conhecer os 12,7 milhões de euros de estudos já realizados e os que faltarão fazer para um novo aeroporto?

Pacheco Pereira exigiu diariamente, durante semanas, que o Governo publicasse na net os estudos que sustentam aquela opção em respota a uma entrevista do ministro da Economia, Manuel Pinho. Por fim conseguiu! Conseguiu?

"Mais vale tarde do que nunca: EPIA - Estudos Preliminares de Impacte Ambiental (OTA e Rio Frio) - diz PP no Abrupto - Falta o resto, mas este é o bom caminho."

Só que... só que esta "uma nova informação arrancada a ferros" [PP dixit]está na rede desde 1999!

Se o propósito fosse estrita ou principalmente o esclarecimento então um mero principiante de navegações na net tinha ido ao Google ou a qualquer outro motor de busca e logo encontraria o site da NAER e o EPIA (Estudo Preliminar de Impacte Ambiental). Se o objectivo da campanha fosse estrita ou principalmente a preocupação com o investimento na Ota então talvez PP tivesse iniciado a campanha na net em 2002, contra Barroso.

Reprovo então Pacheco Pereira por esta campanha contra o Governo de Sócrates? De modo nenhum. Até lhe tiro o meu chapéu pois, de acordo com os actuais, mas deletérios, padrões de luta político-partidária - fazer tudo o que se pode para desautorizar ou derrubar os Governos da oposição não tanto pelo que façam de mal mas para dar o lugar aos nossos - pois, dizia eu, PP até vai razoavelmente bem.

Reprovo então o uso da blogosfera para o combate político, para obrigar os Governos (e as oposições) e a administração pública a darem conta das suas decisões, (nomeadamente sobre o novo aeroporto ou a Alta Velocidade) a tornarem transparente o governo da república, a alargar o campo da participação dos cidadãos, a criar fortes movimentos de opinião pública? De modo nenhum. Por isso estou com todos os blogs, incluindo, claro está, o Abrupto, na aventura dos novos caminhos da comunicação entre eles o da blogosfera.

Mas é importante também escrutinar as razões de cada campanha da oposição.

Comments:
_______________________________

Raimundo,

quero dar-te os parabéns pelo excelente trabalho de esclarecimento, informação e divulgação que trouxeste ao PUXA. Acho que, no fundamental, tens razão. Porém, não deixo de (continuar a ) olhar com estranheza para falta de sensibilidade que grassa no Governo a este respeito. O Ministro Mário Lino escreveu há pouco um artigo no Diário Económico, em que além do título destrambelhado - «Haja decoro!» - (estou a citar de cor), e apesar de tb ter razão no essencial, não indicava (nem na internet nem em nenhum outro lado) uma fonte consultável, uma referência bibliográfica, - nada! Estou de acordo com a caracterização que fazes da jogada (inteligente, por sinal) do JPP, porém o Governo não necessitava de se pôr tanto a jeito...
 
Excelente esta informação bem como a do post anterior. Mas continuo a não perceber as razões por que o governo e, neste caso concreto, o Ministro Mário Lino continua a insistir na não disponibilidade de certa informação. Há razões para as tomadas de decisão, porque não as divulga? Assim dá o flanco desnecessariamente. Mas quem corre por gosto!!!. Verdade que já se comprometeu com informações para Setembro/Outubro. Será que este governo de Sócrates tem a orientação do anúncio das coisas de surpresa e sem as justificar?. Agora foi o caso da Educação. A compra de guerras, a qualquer preço traz consequeências incontroláveis. Será que não há mesno outra forma? Será para demonstrar um estilo radical face ao de Guterres? Há aqui um complexo qualquer ou então uma má utilização da maioria eleitoral obtida. E para isso já tivemos Cavaco.Ana Esteves
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este governo já tomou algumas medidas que mexem e eventualmente algumas bem.Não tocou ainda nos verdadeiros privilegiados ou adiou para beneficiar alguns. Mas fê-lo de forma desajustada, porque alegou ir contra privilégios, quando do que se tratava era de alguma justça relativa, de alguma igualitarização como os casos da função pública e conduziu tão mal o processo e de forma tão arrogante que pôs toda a gente contra si. E agora parece ter aberto uma segunda etapa: os ministros a concorrerem entre si para ver quem ganha a medalha da arrogância ou da irritabilidade.
 
O que parece é que se se gastaram 12,7 milhões de euros de estudos na OTA até agora e o governo nao é capaz de os disponibilizar se alguém os pede, é muito mau.
 
Estava a faltar a desmontagem da campanha do Pacheco. Agora a verdade é que o governo do PS dá-lhe as abébias.Até podíamos dizer que 70 blogs em mais de 3500 não passa de 2 por cento e muitos são de direita mas a verdade é que o governa não dá informação atempada.
AS
 
O Governo está a ser imprudente ao não dizer o que há e o que não há.É uma atitude pouca democrática qe favorece a oposição e cria anticorpos fortes às suas decisões.E ainda por cima não cala e cria dúvidas na sua base de apoio séria. C. Botelho
 
Obrigado ao Manel e à Ana Esteves pelas palavras de incentivo e a todos os que colaboraram com os seus comentários.
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?