.comment-link {margin-left:.6em;}

2007-12-02

 

Não há como um outsider

nos meios financeiros para quebrar as leis da omerta e caírem na rua os negócios confidenciais, os perdões aos amigos, os créditos mal parados, ora agora levas tu ora agora levo eu. Roubalheira - Berardo dixit - de dezenas e centenas de milhões de euros.
Ontem, a RTN por volta das 18 horas entrevistava Joe Berardo e este atirava à rua - e à cara de Jardim Gonçalves, Filipe Pinhal, Christopher de Beck e outros respeitabilíssimos senhores da nossa respeitabilíssima banca - as mais torpes acusações (que por pudor recuso acreditar) de distribuírem entre si, amigavelmente, à margem da lei e à sorrelfa milhões e milhões. De se perdoarem uns aos outros fortunas viajadas por amigáveis offshore "ao mesmo tempo que se mostram intransigentes na aplicação da lei quando se viram para o cliente que se atrasa uns centos de euros na prestação da casa e despejam no olho da rua." Disse Berardo. Mais palavra menos palavra, porque falava em Afrikaner e não havia tradução.

Comments:
Sobre esta entrevista de Berardo fico com uma dúvida.
Desta vez não sei se queria uma nota de 500 euros por cada pontapé no português, se por cada "verdade inconveniente".
 
Em Famalicão existe uma escola de formação profissional gerida pela CGTP com 83% de trabalhadores precários! Dez dos 12 professores do pólo Bento Jesus Caraça estão a recibo verde. O Recibo Verde é um instrumento contra o qual a CGTP luta (ou diz que luta!) e o PCP tanto contesta!

É caso para dizer: Bem prega Frei Tomás!
Nesta escola, 10 professores têm os mesmos deveres que os únicos dois do quadro, mas nenhum direito: não têm subsídio de férias nem de Natal, pagam do seu bolso a contribuição à Segurança Social e se perderem o posto de trabalho não terão subsídio de desemprego.
Dos sete pólos da escola profissional da CGTP, este deverá ser o mais problemático.

Maria Emília Leite, directora-geral da Escola Profissional Bento de Jesus Caraça, admite que este pólo, por “ter estado para fechar há dois anos”, é aquele que “merece mais atenção”. Esclarece, todavia, que o estabelecimento “respeita integralmente as regras do ensino particular e cooperativo”.

- Que seja imediatamente convocada uma grande manifestação seguida de uma greve para lutar pelos direitos destes trabalhadores em situação precária, e para cúmulo dos cúmulos, pagos pela CGTP!
 
Acho que lhe pagam para ele ir à televisão (SiC) e nós , não compreendermos nada, do que diz. Só a Ana Lourenço sabe e domina aquela língua , porque primeiro pratica muito com ele ,antes da entrevista. Agradeço à Ana ou a quem ela ajuda na decifração de enigmas ,o esforço.
Nas democracias vale-se sempre o esforço , não é?
O meu muito obrigado a ambos porque nas democracias deve agradecer-se sempre aos vários parceiros sociais . Digo eu não sei !!
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?