.comment-link {margin-left:.6em;}

2005-07-07

 

Impostos?

Desde a desgraçada promessa de Guterres de não aumentar a gasolina desse por desse o preço do petróleo que, diligentemente, aconselho os chefes de governo, a nunca caírem na esparrela de prometer que não aumentam os impostos.
Não me ouvem. É o que tenho de, amargamente, concluir!
Comments:
É verdade... Ninguém aprendeu com a gaffe do pai Bush "read my lips: no more taxes". Socrates devia ter revelado mais maturidade quando na campanha prometeu que não iria aumentar os impostos (isso e o pagamento das SCUTs). Cedeu ao eleitoralismo bacoco e agora está a fazer figura de urso...
 
A promessa de um governante Laranja ou de um governante Rosa em não aumentar o preço da gasolina é perfeitamente irrelevante. O grosso da parcela do preço do petróleo é definida não no Terreiro do Paço mas pela OPEP, o Cartel dos Países Produtores do Crude. Eles definem produções e acordam o preço do barril.
Contudo, essa informação não é devidamente levada a sério pela grande massa de consumidores dos produtos tirados do crude, a gasolina, por exemplo. O importante é saber que o Primeiro Ministro circunstancial promete que não vai mexer no preço da gasolina.
Uma espécie de Mandrake com sua mágica varinha milagrosa que não vai aumentar os preços nem os impostos. Pim! Já está.

E estamos todos muito contentes e sossegados com as promessas que o Senhor Primeiro Ministro está a fazer naquela praia, pelo megafone, de costas viradas para o mar. Temos todos água pelos tornozelos e o mar está calmo e o céu azul.
Mas algumas vozes já dizem, em voz alta, que divisam ao longe, ondas gigantes que se aproximam rapidamente. E dizem mais. Uma é grande, a indiana, outra é ainda muito maior, a chinesa.
E custa a crer que, mesmo viradas para elas, continuemos a acreditar naquilo que o circunstancial PM nos vai prometendo e não no que se aproxima perigosamente.

Kalonge
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?