.comment-link {margin-left:.6em;}

2007-12-15

 

100 milhões para os lobos, sem lobos

Acabo de ler no Expresso "Lobos custam 100 milhões de euros".

É o título de um artigo sobre o custo dos arranjos a mais para que os lobos fossem protegidos na serra de Falperra pelo atravessamento de duas auto a A24 e A7. Tais obras a mais "justificaram-se" na mira (irreal) de haver uma boa circulação dos lobos que afinal, na realidade, acharam por bem dispensar esta dávida dos humanos.

A ser assim, 100 milhões de euros é mesmo muito dinheiro perdido. Conheço tanto pequeno projecto na área da investigação a quem 100 mil euros dava um grande jeito e que o País bem melhor ficaria. Mas para os lobos (sem lobos) foram mil destes projectos.

Dói o coração ver deitar tanto dinheiro fora. Mas acredito que seja assim, pois conheço outras obras a mais, públicas e privadas, de menor montante, como a protecção de morcegos e de outras aves que se fizeram por razões "ambientalistas" para nada. Os morcegos evadiram-se e que se saiba a zona nada perdeu e o morcegário está vazio. Melhor seria que fosse desmantelado até por razões ambientais se a estética entra nesse conceito.


Comments:
É Portugal no seu melhor.
Alguém ganhou com este negocio, de certeza absoluta.
Também lhe digo, o dinheiro mal gasto, é uma opinião um pouco retrograda. O que está mal é neste País de Audis e Centros Comerciais haja ainda alguém que ache muito dinheiro para salvar animais.Daqui a uns anos compra um lobo de plástico (mas da SONY)par mostrar aos seus netos, que o avôzinho que até é da esquerda Audi teve uma idea brilhante para mostrar aos netos o Mundo animal.
Hoje em Portugal algo que se faça ou é negocio ou vigarice.É este o País da maioria Sócrates.
 
Se achar que ler mais que demagogia barata sobre a história dos lobos o poderá ajudar talvez valha a pena dar um salto a http://ambio.blogspot.com/
Para ter uma ideia cito uma mensagem (que não é minha) de uma lista de discussão onde o assunto apareceu:

"Tendo em conta que existe alguma confusão na lista sobre A24, Lobos, Ecodutos Viadutos, 100 milhões, e afins, vamos tentar esclarecer algumas coisas:

Sim o traçado inicial da A24, foi chumbado havendo necessidade em fazer um novo projecto visto que o projecto inicial, era um projecto em fase de excussão, não tendo por isso alternativas.

O traçado do projecto inicial da A24 foi chumbado, por um conjunto de valores presentes (biológicos, património arqueológico, paisagisticos entre outros), entre os quais devido á presença de uma área vital para uma alcateia de lobos (Canis lupus signatus), espécies em perigo e classificada pela Comunidade Europeia como espécie prioritária a proteger.

A alteração do traçado da A24, teve um custo adicional de 100 milhões? Isto não sei, apenas posso afirmar que com certeza não foi por causa do Ecoduto construído “para os lobos”, para quem nuca o viu, este tipo de passagem é exactamente igual a uma passagem superior agrícola (PAS), apenas sendo algo mais larga (as PAS têm normalmente 4-5 metros de largura e este ecoduto tem 15). Que me digam que o viaduto construído para atravessar o vale de Vila Pouca de Aguiar acresceu ao custo total previsto para a construção inicial da A24, acredito que sim.

Que o viaduto era desnecessário ser construído? Não, o atravessamento do Vale de Vila Pouca de Aguiar era sempre necessário ser atravessado por uma estrutura do género, senão vejamos. Imaginemos que o viaduto de Vila Pouca de Aguiar não era construído no âmbito da A24, como é que a o IC5 (continuação da A7), em direcção a Este (Nó do Alto do Pópulo) iria atravessar o Vale de Vila Pouca de Aguiar?

Alguém sabe quanto foi o financiamento da UE para a A24? Financiamento este, que não era feito caso se mantivesse o traçado inicial, visto que estava em causa valores protegidos pela mesma UE.

Se este projecto tivesse sido feito em estudo prévio, talvez não estaríamos a discutir esta coisa neste momento."

henrique pereira dos santos
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?