.comment-link {margin-left:.6em;}

2007-12-21

 

Espanha vai nós não

«A prosperidade e o dinamismo dos espanhóis contrastam com o nosso resvalar, do ano 2001 em diante, por comparação com os demais países da União Europeia. Ainda recentemente se soube que a Espanha ultrapassou já a Itália em poder de compra.
O que se passou foi que a Espanha, desde a sua transição democrática, assumiu a sua incontornável adesão à então CEE com tudo o que isso implicava na altura: mudança qualitativa do tecido produtivo, com fechos maciços em sectores, como os estaleiros navais, a siderurgia ou o carvão, para atingir, a marchas forçadas, os níveis de produtividade da Europa avançada. Os Pactos da Moncloa de 1977 deram o pontapé de saída, aceite por centrais sindicais e patrões. Com grandes custos sociais, que resultaram, durante anos, em taxas de desemprego bem acima dos 10%. A isto soma-se, nos anos 90, a reestruturação do Estado.
O que a Espanha fez fizeram, também, a Irlanda, a Suécia e a Finlândia. Mas os resultados só se consolidaram passados cinco a sete anos.»

Comments:
É bem verdade.

Portugal perdeu a bússola. Há que cortar a direito, não considerando que obter 0,93 centimos/dia de aumento é uma grande vitória da esquerda, como entendeu o PCP no que se refere ao salário mínimo. Um regozigo deste teor é, no mínimo ridículo, mas revela bem o País onde falta a ambição e que joga na baixa política.

O governo assim até se sai maravilhosamente bem e, independentemente das nossas simpatias, até está a fazer uma gestão do país com ambição. Pena tanta arrogância e convencimento.
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?