.comment-link {margin-left:.6em;}

2004-10-22

 

Até onde vai a liberdade de expressão em Portugal?

O PUXAPALAVRA teve conhecimento deste texto e decidiu divulgá-lo

"Nasci e tenho vivido num pequeno concelho (Pombal) do Litoral-Centro (Distrito de Leiria). Não milito em nenhum grupo partidário. Sou um simples cidadão nascido seis anos antes do 25 de Abril de 1974.

E como cidadão, ingénuo a pensar que haveria liberdade de expressão e de opinião, criei em Julho passado um "blog" na Internet que pretendia ser um espaço de reflexão e de debate de ideias, com críticas construtivas, sobre que está a acontecer na minha Terra.

Nomeadamente sobre a actividade da respectiva Câmara Municipal e outras instituições. Esse "blog" num espaço de dois meses registou mais de 6.700 visitas, tendo sido comentado em grande número por outros cidadãos/munícipes.

A respectiva autarquia, presidida pelo social-democrata Eng. Narciso Mota, nunca usou o princípio do contraditório. Apesar de reconhecer que alguns dos temas abordados tinham a sua veracidade, alterou alguns procedimentos, dando razão ao que por lá se escrevia. Reconhecendo que o "blog" era incómodo para o Poder (leia-se, Câmara Municipal), o senhor presidente entendeu que a melhor forma de usar o "contraditório" era acabar com o mesmo. Vai daí, entrou em contacto com a direcção/administração da empresa onde eu trabalhava e denunciou a sua existência, fazendo ver que o "blog" era "gerido" em horas de expediente.

A direcção da empresa de imediato, e justificando que aquela situação lesava a relação institucional com a Câmara Municipal, até porque necessitava desta para legalizar algumas situações pendentes, despediu-me.

Isto, não argumentando com falta de profissionalismo ou de produtividade. Mas sim, porque o senhor presidente da Câmara assim os contactou para o efeito. Esclareci a situação e comprometi-me a eliminar de imediato o "blog", o que foi feito e aceite. Precisamente um mês depois, e pelo meio alguns encontros realizados entre o presidente da Câmara e a direcção/administração da empresa, fui novamente confrontado com o despedimento. E perante duas opções: instauração de processo disciplinar ou demissão voluntária, optei pela segunda.

Ou seja, a intervenção do senhor presidente da Câmara Municipal de Pombal neste processo é um facto. Tanto o é que um dos seus vereadores afirmou perante algumas pessoas "já acabámos com o blog"

Esta situação é notoriamente idêntica à que aconteceu com o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa. Na sua proporção, obviamente. Mas, com um senão... o meu futuro. Estou desempregado, com duas crianças de 20 meses para criar, casa e carro para pagar. E esposa também desempregada.

E tanto mais que, ainda há dias, ouvi da boca de um eventual empregador: "reconheço que és a pessoa indicada para o meu projecto, mas quando o senhor presidente da Câmara soubesse, caía o Carmo e a Trindade. E eu não quero ter problemas com esse senhor".

É triste que 30 anos depois de uma revolução, ainda haja quem de uma forma nojenta e vergonhosa, censure as vozes discordantes para que estas não expressem livremente as suas opiniões".

Rua Paul Harris, nº 13 - 1º Esq
3100-502 Pombal
Telef.: 236213594 - 936354363
E-mail: orlando.cardoso@zmail.pt

Comments:
A ser exactamente assim, é um caso de investigação criminal e de tribunal. Um caso de polícia
 
Para onde vai este Portugal? Já vale tudo...Acudam. Ana Tavares
 
O comentário anterior que apaguei inadvertidamente vai de novo aqui:
Aqui está um caso, a confirmar-se, digno de investigação, como diz o comentarista ali acima. Seria interessante que um jornalista pegasse no caso. Só por aí se vencem obstáculos e cumplicidades.
Há muita coisa desta sem se saber. Aliás as vítimas para evitar o pior, descrentes como devem estar com a nossa Justiça, calam-se a maior parte das vezes.
 
Simplesmente inacreditável...será que posso publicar este texto no meu blog?? agradecia confirmação.
 
Este texto reflecte a acção dos pequenos ditadores
que pululam, infelizmente, por este país fora.
Aproveitando a pergunta da Micas se pode publicar este post, a nossa resposta é, sem hesitações, sim. Que muita gente publicite esta denúncia e que a imprensa investigue a fundo este e outros casos que sabemos existir. Alguns mesmo muito complexos.
 
Com esta actuação, aliás não mais que a imitação dos "chefes", com o SNI à espreita, poderão estar na bruma indícios de grande tempestade.
C. Botelho
 
Tomei conhecimento deste caso por e-mail e a ser verdade é de facto um assombro e um atentado à liberdade de expressão. Será que alguem confirma a veracidade deste texto?
Abraço
 
Com a devida vénia, linkei este post. Oportuno. João Tunes
 
Ao Alexander Narciso, falei com o Orlando Cardoso pelo telefone fixo que vem referido no texto. Para além de me referir estar a receber emails sobre outros casos disse-me que este facto foi tratado no Público nos inícios de Outubro e em jornais da região.
 
Sendo assim, só tenho a reafirmar que é um atentado à liberdade de expressão. Estranho é que se fale tanto do caso Marcelo e que abafem estes casos.
Obrigado pela confirmação João.
Abraço
 
Cá se fazem, cá se pagam! Todos nós um dia iremos ser confrontados com as consequências das nossas acções. E para o infeliz (com o devido respeito), não seria uma opção, sair do raio de influência de quem o prejudica?! Deixar quem pode, fazer justiça?! Acredito em Deus, o único justo!!
 
Estou a ler este blog em 2013 mas parece que as coisas nao estao a ficar melhor em Portugal. Um homem foi preso e condenado por ter mandado Cavaco Silva trabalhar. Um jornalista esta a ser condenado por ter chamado Cavaco Silva um palhaco.

Temos que continuar a protestar porque a democracia e uma luta constante.

A Cavaco Silva eu digo: VAI TRABALHAR, PALHACO!
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?