.comment-link {margin-left:.6em;}

2005-06-26

 

António Campos lança livro terça feira

Quem é António Campos? É um homem político do PS, ex-eurodeputado, onde se notabilizou pela tomada de várias posições incómodas para os seus pares, mas com a realização de um excelente trabalho em prol da agricultura, alimentação e saúde, aliás o tema cental do livro e por nunca ter votado favoravelmente o orçamento comunitário por discordar das regras, em seu entender injustas, da PAC. A ele se ficou a dever a denúncia das "vacas loucas" em Portugal.

Na entrevista da Pública de hoje, o sempre polémico António Campos, diz verdades que não abonam a favor de muita gente que passou pelo comando da política agrícola em Portugal, embora ressalvando o actual Ministro que diz ser o homem certo no lugar certo.

"Portugal não tem nenhuma ideia para o mundo rural". "Em Portugal, o Ministério da Agricultura nunca teve grandes estratégias e depois da adesão à UE passou a ser um mecenas que distribui subsídios comunitários e não orientador e dinamizador". São verdades cruas que também se aplicam a outros domínios e que fizeram que os fundos recebidos em pouco contribuíssem para mudar o panorama empresarial português mas para reproduzir mais do mesmo. Por isso, todos hoje gritamos que a economia portuguesa não é competitiva. Infelizmente, a maioria dos gritantes não sabem pelo que gritam. São eles os culpados porque sem estratégia, apesar dos financiamentos recebidos não souberam ajustar as suas empresas aos novos condicionalismos da evolução mundial. Não se nega que os governos não tenham tido imensa culpa. Têm. E os empresários?

Mas o que mais me incomoda é uma frase de Campos onde ele diz: "o que se tem subsidiado em Portugal durante anos são produções que são para acabar". É bem assim. Quem não conhece esta situação? E porquê? Porque - como diz António Campos - a PAC é contrária aos interesses nacionais protegendo apenas as produções do Norte da Europa.


Comments:
Não faz parte da promoção da obra, pois não? Assim penso. Mas fico a aguardar o livro, pois o Eng. António Campos tem uma qualidade costuma pegar "no touro pelos cornos". Duarte Afonso
 
Certamente mais um livro incómodo!!!. Também li a entrevista e o que mais registeipela negativa porque torna a Europa tão pequenina foi: "a Europa faz bluff. Cria muita regulamentação sobre o controlo alimentar, mas na maior parte é só para impedir que produtos terceiros possam concorrer com os seus. Fazem-no com objectivos económicos e não para garantir a saúde dos cidadãos." Ana Esteves
 
"Não é possível entrar no mercado externo com um produto de excelância, como o vinho verde, que tem duas mil marcas"...diz Campos
 
Ainda não percebi o porquê de um Ministério da Agricultura, etc. 15000 funcionários para quê? Feche-se/estinga-se. Só há ganhos sob qualquer ângulo que este tema seja visto.O País só ficava a ganhar. Quanto custa o Ministério da Agricultura. O fechar só pagando salários, porque não temos agrícola, seria uma economia que quase descia o défice pelo menos de 1%.
 
Já há muitos anos, que a PAC só serve em Portugal para subsidiar culturas para acabar ou terras sem produção.

A PAC e os subsidios nunca serviram para modernizar a agricultura, mas pra a compra de carros de luxo e construção de grandes vivendas.

Portugal foi sempre, na óptica de Bruxelas um país para a produção de floresta, especialmente aquela de crescimento rápido para produção de pasta de papel.
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?