.comment-link {margin-left:.6em;}

2005-10-28

 

As Presidenciais ...e a Esquerda

A situação não está (não é) fácil para a esquerda no seu conjunto. Não vamos chorar o passado. Os candidatos poderiam ser outros, certamente, não porque esteja em causa nenhuma das personalidades candidatas em si, mas porque, de facto, o povo português estava à espera de um outro figurino. A sucessão de acontecimentos não deu aso (mal em meu entender) a uma situação que fosse de encontro àquilo que o povo mais esperava.

Falando claro. Era necessário ter surgido atempadamente um candidato agregador, prestigiado, da confiança de vastos segmentos da esquerda e mobilizador da mesma. Este processo exigia tempo e a esquerda "acordou" tarde e teve de se socorrer do stock usado.

Neste contexto, continuo a não ter dúvidas sobre o melhor candidato à esquerda para uma segunda volta. Já aqui o referi várias vezes: Mário Soares.

Há de facto um trabalho enorme a desenvolver por todas as esquerdas para uma segunda volta e uma estratégia para se sair vitorioso nessa segunda volta. Há que valorizar os pontos comuns entre a esquerda (se os há), clarificar muito bem o modelo de desenvolviemnto económico e social para este país que se preconiza, uma postura bem clara de como enfrentar a crise, onde a questão do emprego e a forma de ser do Presidente, dentos dos limites constitucionais, são determinantes. Numa palavra, a esquerda plural em que se distingue entre si e em que se distingue do candidato que agrega a direita e que se esconde nos discursos sobre a crise económica, com um pendor de intervencionismo, embora o negando, nas esferas da governação e sem clarificar os modelos económico e social que defende.

É fundamental a "luta ideológica/clarificação" nestes domínios, até porque os argumentos do candidato federador da direita vão no sentido de que não há diferenças de modelo e que, quem sabe de economia nos seus pormenores, é que tem "as virtudes" para ser Presidente.

Comments:
Sou daquelas que preferia outros candidatos à esquerda, com um perfil diferente, um candidato de outra geração. Não é uma questão de idade, mas um problema de "desafunilamento". Agora não vou deixar de votar útil à esquerda. E francamente não percebo esta forma "suicida" na esquerda de combate a um salvador de direita que, por enquanto, ainda não tem asas, mas se lá chegar vai colocar os patins a marques mendes e asas a Ferreira Leite para "premier". O benfica que se cuide, o Sporting é que vai ser.
M.B
 
Quanto ao passado, estou de acordo com o autor do poste: não adianta chorar sobre leite derramado. Mas não compreendo qual a razão política (por parte dos propositores de Mário Soares) que impede de ver Manuel Alegre a entusiasmar as hostes e Mário Soares a ficar para trás. Será apenas porque se enganaram e não o querem reconhecer?

WatchDog
 
O Watchdog quando fala no "Manuel Alegre a entusiasmar as hostes e Mário Soares a ficar para trás" está a referir-se às sondagens da Marktest e da Aximage publicadas ontem e hoje, no DN e no CM?

É que se está, eu dei-me ao trabalho de ver como se comportaram estas duas empresas nas sondagens que fizeram nem há um mês, para as autárquicas. E o que descobri foi o seguinte:

A Marktest fez seis sondagens em seis concelhos: Porto Lisboa, Oeiras, Matosinhos, Felgueiras e Gondomar. Em todos esses concelhos a CDU foi a 3ª força política mais votada, mas essas sondagens da Marktest só o previram em dois concelhos - Porto e Gondomar – e mesmo em Gondomar, só previu 2,1% para a CDU quando de facto obteve, 7,1%. Em Lisboa, previu um empate da CDU com o BE e em Oeiras, Matosinhos e Felgueiras previu que a CDU teria menos votação que o BE. Quer dizer que nos 6 concelhos onde a Marktest fez sondagens, houve um desacerto total nas previsões da CDU (para menos) e em desacerto total nas previsões do BE (para mais).

Já quanto à Aximage, só fez sondagens em quatro concelhos: Faro, Lisboa, Sintra e Leiria. Ora se em Sintra previu a vitória de João Soares, em Lisboa também previu a vitória de Carmona mas por uma diferença de apenas metade da percentagem que se verificou (8 em vez dos quase 16% de 9 de Outubro) além de ter previsto um empate entre a CDU e o BE quando houve 3,5% a separá-los. Quanto a Faro, onde o PS ganhou com 2,8% de diferença do PSD, a previsão de diferença da Aximage foi de 11,3%!

Isto é, o que descobri – e que qualquer um pode descobrir pois basta ir ao site da Marktest, e analisar as sondagens que lá estão e estão lá todas – mostra que as sondagens feitas recentemente por estas duas empresas são muito pouco fiáveis. Se acertaram tão pouco em sondagens publicadas dois dias antes das autárquicas é no mínimo insensato confiar em sondagens feitas a dois meses e meio de distância das presidenciais e quando a pré-campanha está ainda a começar.

Eu sou apoiante da candidatura do Jerónimo. E com os meus camaradas partimos para esta batalha para marcarmos a nossa diferença e proclamarmos a necessidade de uma ruptura com as políticas de direita. Não estamos neste combate para aceitar um lugar subalterno como Alegre insinuou quando disse que apenas três candidatos podem vencer. Estamos nesta campanha em igualdade de circunstâncias e com o objectivo de obtermos o máximo de apoios e de votos, pois ninguém tem à partida votos garantidos.

Estamos nesta campanha sem camuflar a nossa opção partidária, como fazem Alegre e Cavaco, e sem camuflar o nosso inimigo principal, como faz Louçã, que até a palavra "direita" aboliu da sua declaração de candidatura.

Estamos nesta campanha com um candidato de pleno direito e sem considerarmos que qualquer outro candidato é mais do que isso mesmo, candidato.

E acho um perfeito disparate que se considere que à partida o candidato da direita já seja considerado vencedor, como já tantos de certa "esquerda" o consideram, como também acho um disparate a supervalorização que se está a fazer de duas ou três sondagens destas duas empresas.
 
Cara Margarida,

Não. Não estava a referir-me (ainda) às sondagens. Creio que é demasiado severa com a MarkTest e a Aximage. De tal modo que não pode, em relação às últimas legislativas, dizer a mesma coisa...
Mas não. Não falei de sondagens.
Acho normal que a Margarida apoie o candidato que entender. Lá terá ele as virtudes que lhe encontrar. Eu estava a referir-me apenas ao imbróglio que vai na área do PS. Sobre os «candidatos-megafone» que os respectivos partidos elegem sistematicamente com intuitos evidentes, não tenho nada de novo a dizer.

WatchDog
 
Margarida você é uma jovem militante do PC crente no que diz? Ou será um funcionário, do PC, com 55 anos, de serviço à blogosfera? Vou considerar a 1ª hipótese. Como bem diz o WatchDog: "Sobre os «candidatos-megafone» que os respectivos partidos elegem sistematicamente com intuitos evidentes, não tenho nada de novo a dizer."
Margarida o que você disse do seu candidato está muito bem na sua secção do PC. Mas aqui?! Está a falar de quê quando fala do seu candidato? Não é um candidato à PR é apenas como o Louçã e outros Carmelindas Pereiras que vêm fazer a propaganda do respectivo partido. Ainda poderiam trazer alguma ideia nova mas o Jerónimo de Sousa que merece todo o resppeito como cidadão, é uma boa criatura, excelente comunicador para um público de sociedade recreativa. Ele até disse na Grande Reportagem à Felícia Cabrita que o segundo ataque de gaguês (no debate na TV em que perdeu a fala)já não foi afonia foi o "peso da responsabiliade que o enervou" (mais ou menos isto). Quando era o Dr. Cunhal (aí até aos anos 80 enquanto não perdeu faculdades) podíamos não concordar ou odiá-lo mas dizia coisas. Mesmo o Dr. Carvalhas que a ninguém agradava por não ser nem carne nem peixe, poderia ainda dizer alguma coisa (pouca) agora o Jerónimo é um excelente S-G para os iletrados do PC, boa pessoa, afável, simpático mas para quem teve um Cunhal é um dó de alma.
Mas Margarida desafio-a a explicar um pouco melhor as suas ideias.
Diz você: "E com os meus camaradas partimos para esta batalha [que batalha? A da propaganda das ideias do seu partido mas que nada tem a ver com o objectivo de chegar a PR. Como o Louçã e outros que por aí apareçam] para marcarmos a nossa diferença e proclamarmos a necessidade de uma ruptura com as políticas de direita [que quer dizer com estes chavões? Explique para eu perceber e no caso de Você ser a Margarida da 1ª hipótese, para você tentar perceber-se a si própria. A ruptura com o capitalismo? Para que socialismo? O de Estaline? o de Bresnev? O de Fidel Castro o de Pequim? Rupturas? Está a falatr de quê?]. "Não estamos neste combate para aceitar um lugar subalterno como Alegre insinuou quando disse que apenas três candidatos podem vencer." Mas Margarida não há ninguém aqui nem em qualquer outro lado, a não ser você, que pense que haja mais algum candidato a sério à PR.
Explique-se se conseguir e até breve!
Drácula da Pensilvânia.
 
Watchdog: Se me der alguma pista sobre onde encontrar as sondagens das últimas legislativas, terei prazer em analisá-las e dar a mão à palmatória, se for caso disso. Mas entretanto registo que aceita como boa a análise que fiz baseada nas últimas sondagens dessas duas empresas.

O Drácula é mesmo bárbaro ao perguntar a idade a uma senhora. Isso poderá ser normal na sua terra, não o é na minha. E até nem percebo a relevância da sua pergunta. Agora também a idade interessa? Estranho, muito estranho…
Mas nem é esta a sua maior barbaridade.
Sobre os intuitos do meu candidato, ele próprio explicou na sua declaração de candidatura em princípio de Setembro: “Nesta batalha eleitoral concreta, a candidatura decidida pelo CC do PCP (…) visa ao mesmo tempo marcar a diferença, fazer crescer a compreensão de que é necessária uma ruptura democrática e de esquerda com as políticas de direita que nos trouxeram ao actual estado de coisas e demonstrar que há alternativas” e (…) “visa contribuir para a derrota daquele que venha a ser o candidato apoiado pelos partidos da direita e (…) participar num incontornável debate que sendo sobre as funções do órgão Presidência da República, terá necessária e obrigatoriamente de ser um debate sobre o estado da democracia e o futuro de Portugal.”

E lembro-lhe que em 30 de Junho, o CC do PCP registou “com preocupação a aparente subestimação, ou resignação, que o PS, e outros, evidenciam perante a progressiva promoção da candidatura de Cavaco Silva” e em conformidade decidiu intervir nas presidenciais para assegurar a derrota da direita; lembro-lhe ainda que em 23 de Agosto, o PCP anunciou a candidatura do seu Secretário-geral, e que só em finais de Julho o DN anunciou que Mário Soares ponderava candidatar-se o que veio a acontecer em 31 de Agosto, e só em 4 de Setembro o PS aprovou o apoio a esta candidatura. Claro que só depois é que o BE, que remédio teve senão candidatar o Louçã…

Se o Drácula lesse a “concorrência”, se se actualizasse um pouco, veria que as perguntas que faz acerca da ruptura são desadequadas. Sugiro-lhe que vá ao site do PCP (www.pcp.pt) e que consulte a intervenção do Jerónimo no Comício de Lisboa, em 21 de Outubro. Dela retiro esta passagem: “Somos uma candidatura que afirma a necessidade de um novo rumo para o país no respeito pelo legado da Revolução de Abril e que aspira à construção em Portugal de uma democracia simultaneamente política, económica, social e cultural”.

Sobre as categorias que faz de candidatos, os “sérios” e os “outros”, constato que comunga da arrogância do Alegre e da petulância do seu apoiante o Marquês da Fronteira, quando o gaba por “não estar refém de nenhum aparelho partidário”, logo a ele o Alegre, que é dirigente do PS e não conseguiu obter o apoio do seu partido, de que se queixou...

E sobre os votos que cada um vai ter o que é do mais elementar bom senso é partirmos da constatação que à partida ninguém tem votos garantidos; e como pelos vistos nem o candidato do PS tem garantidos os votos dos socialistas é melhor o Drácula não falar de corda em casa de enforcado…
 
Recado para Margarida:

Um excelente blogue sobre sondagens e estudos de opinião é o «Margens de Erro» - http://margensdeerro.blogspot.com.

Se ainda não conhece, experimente, porque vale a pena.

WatchDog
 
Watchdog: conheço bem o Margens de Erro. Mas se reparar bem ele analisa as sondagens, não as empresas que fazem sondagens. E eu limitei-me a fazer uma breve análise das previsões das sondagens feitas pela Marktest e Aximage nas autárquicas e comparei-as com os resultados de 9 de Outubro. Esta minha análise vale o que vale, mas pelo menos fez com que não ficasse muito impressionada com as tais previsões da Marktest e da Aximage sobre a intenção de voto para as presidenciais.

Isto é, penso que nesta altura não há nada de objectivo que leve a defender que o Alegre é o 2º melhor colocado.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?