.comment-link {margin-left:.6em;}

2006-02-20

 

Bolkstein está de volta..

.... e desta vez para ficar.

A Comissão Europeia apresentou em Janeiro de 2004 um projecto de Directiva - agora Directiva Serviços -com o objectivo de eliminar as barreiras à troca de serviços no espaço comunitário.

Este projecto, celebrizado como directiva Bolkstein, nome do autor da proposta, provocou uma celeuma política de tal ordem que esteve, entre outros factores, na origem do Não francês à Constituição Europeia e ao fim e ao cabo da paragem do processo de aprovação da mesma.

Agora "retocado" este projecto passou no PE pela mão das duas grandes forças políticas ali representadas.

Os partidários da Directiva defendem que a liberalização dos serviços que constituem 70% do PIB e do emprego da UE contribuem para o aumento da riqueza, pois vão criar uma especialização por países. Os adversários defendem que a liberalização penalizará o mundo do trabalho nos países fundadores da UE. Esta ideia está sobretudo arreigada na Alemanha e França.

Olhando bem para todo esste processo, deparamo-nos perante uma Europa que a toda a hora se desdiz e contradiz.

De um ponto de vista formal, a União Europeia é um mercado comum, integrado, e como tal bens, serviços, pessoas e capital deviam circular livremente no mercado. Isto já se passa com os bens. A integração foi progressivamente baixando as barreiras entre os países membros da UE e, neste momento, a situação funciona na prática.

No caso dos serviços tem sido preponderante a regra nacional que limita a livre circulação, o que significa que a circulação de serviços continua muito limitada.


Comments:
Uma vez que a UE e a imparável globalização só nos trazem miséria... espero que as "grandes forças", como lhe chamou, continuem em desacordo e marcha lenta por muito tempo. Digo sinceramente que da UE "No news is good news"!
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?