.comment-link {margin-left:.6em;}

2008-10-17

 

Meu caro e grande amigo Carlos Corvelo

Foste embora, demasiado depressa. O nosso último jantar foi na Páscoa na companhia de um grupo restrito de bons amigos comuns. Já aí surgiram indícios de que a vida nos pode tramar sem avisar.

E, agora, meu caro Corvelo, com quem poderei discutir as regiões autónomas, com o nível que proporcionavas, apesar de, por vezes, haver alguns desencontros de opinião entre nós, que a muita amizade que vinha de longa data e de muitos acontecimentos vividos em conjunto no antes e no pós 25 superava e tudo acabava sempre em bem.

O Porto deixou a sua marca, foi o nosso início na vida, mas o nosso reencontro em Lisboa com o 25 de Abril é bem outra marca profunda que nos uniu profundamente, apesar de trajectos bem diferenciados.

Muitas vezes, em alguns bares de hotéis ou outros, sós ou com mais amigos, em que também no Whisky tinhamos algumas opções diferentes, a troca de ideias era viva, mas sempre numa discussão sã e sincera na procura de um melhor aprofundamento dos problemas. A tua ânsia e a tua generosidade que pretendo aqui registar era a de acertar nas melhores decisões para a região dos Açores em que tinhas assumido responsabilidades governativas, isso era o teu fascínio, mas onde a ilha Terceira aparecia sempre em primeiro plano. Ainda há (via) gente boa e dedicada como tu.

Meu caro amigo, não sei por onde andas. A tua falta é uma perda muito sentida no âmbito da camaradagem e do clarear de ideias e ideais e junto ainda a perda da tua valia técnica. Até sempre.

Comments:
Aqui foi feito jus ao seu inexcedível contributo!

http://planetaspolitik.blogspot.com/2008/10/carlos-corvelo.html
 
obrigada joão
há anos que deixei de me pasmar frente ás odes que vocês faziam á vida
ele deslizou contrariado para onde não queria
descansa com a força dos prisioneiros revoltados
um abraço
Ana Cristina
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?