.comment-link {margin-left:.6em;}

2008-12-13

 

A condição de ...

Estou a pensar muito francamente que, neste País, não posso ser o único a não reivindicar "uma condição de... "

Pois, fui muita coisa na vida, ou em linguagem mais chã na "puta vida", de certeza, sem interesse nenhum para o País, mas fui. Vejam lá, até fui um injuriado - milhentas vezes - pelo ilustre Dr. Alberto João Jardim. O homem descarregou sobre mim algumas das suas infelicidades. (Trata-se de um "bom homem", na expressão humorística do meu amigo Tó).

Logo, posso colocar-me na condição de ... " vítima da Autonomia da Madeira".

É verdade, mas a ir por aí nos tempos que correm, com Sócrates no poder, é uma aposta de risco.

O melhor francamente era ser vítima da Autonomia dos Açores. Toda a adrenalina sobre Cavaco Silva. Até a Drª. Ferreira Leite hesita. Anda aflita. Ela já não diz coisa com coisa. Mas se o PSD se parte, como diz Mota Amaral, pelo apoio a Cavaco, até Alberto João Jardim a vence em qualquer batalha. Coisa nunca Vista.

Bom, o meu caminho é. ... Estou a favor da grande autonomia dos Açores contra Cavaco. Ele até foi meu assistente de Finanças, mas era um grande chato e um grande beato. Apesar de achar que Cavaco tem razão "nas mercearias", não na substância, acho que o homem nunca viu muito para além das formalidades e nisso é exímio e como tal deveria cumprir-se a condição de... . Vou ser contra, para ter um "camarada de peso": Mota Amaral. Que pinta, é um ex- de Jaime Gama, (a 2ª figura do País). Logo vou de Mota não hesito.

Afinal, não quero, porque nunca vi discutida a questão das autonomias ou do Estado uno ou plural.

Assim, prefiro este outro caminho: o da minha autoavaliação e aí ninguém me bate. Sou quase Jesus Cristo. Ensino o caminho das pedras e as pessoas não se afogam, pelo menos, se for num ribeiro de pouca profundidade.

"Ter uma condição de ..." penso que só neste país, por mais inútil ou até prejudicial que seja a toda a comunidade, essa condição de ... dá direito a reivindicar uns "tustos". Será asim que se escreve? Depois o respectivo ministro diz que dá e não dá exactamente aquilo que disse que daria, mas não faz mal. Acaba por pingar sempre algum.

Mas que raio ... fico a pensar na condição de... já há a condição de militar. A condição de professor. A condição de médico. A condição de juiz e embora próximo a condição de Magistrado do Ministério Público. De Polícia. De GNR. De Enfermeiro. De Adminsitrador de banca. De Banqueiro. Este dáva-me um jeitão, mas já não vou a tempo. Há tantos, tantos candidatos. É choruda.

Começa a haver pouco espaço. Tenho de ver. Mas pode ser, por exemplo, a condição de intriguista e outros istas. ... Há que fazer um dicionário e então porque não a condição de fazedor de dicionários ... Quanto me dará o Minstro da Cultura? Bem, aqui para ele me dar algum, tenho de lhe dar primeiro eu e a dobrar.


Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?