.comment-link {margin-left:.6em;}

2008-12-24

 

A crise e o FMI

"É preferível que se relance a economia através do aumento das despesas públicas em vez da diminuição das receitas. Dito de outra maneira, a construção de pontes ou a renovação de escolas será mais eficaz que as reduções de impostos pois as pessoas terão tendência para constituir poupanças de precaução. Se se diminuir os impostos ou aumentar as transferências é preferível centrar os esforços nas populações vítimas do desemprego ou endividadas. Essas têm mais necessidades e vão consumir contribuindo assim para relançar a actividade económica."

A citação acima não provém de nenhum texto de um qualquer programa de esquerda mas sim de uma entrevista de Olivier Blanchard economista chefe do FMI. Por aqui se vê que a crise actual mudou muita coisa, entre elas parece que a ortodoxia económica do FMI é uma das vítimas.

Só é pena que o mesmo típo de análise não se tenha aplicado no passado às economias africanas e sul americanas às quais se aplicaram receitas exactamente opostas causando danos sociais que levarão muitos anos a resolver.


Comments:
De grande oportunidade esta mensagem do FMI (alguma vez tinha que acertar o tiro!)e espero que por cá os diferentes quadrantes a entendam, porque a crise ainda não se sabe aonde chegará. Aproveito para te fazer chegar um abraço de boas festas.
João Abel
 
João Abel, muito obrigado pelo comentário e um abraço de boas festas.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?