.comment-link {margin-left:.6em;}

2008-12-01

 

A Procuradora Cândida Almeida Incomodou muita gente ...

A Procuradora Cândida Almeida esteve ontem no Programa - Discurso Directo - DN/TSF, em entrevista com João Marcelino e Paulo Baldaia.

Foi tudo menos meiga, tecendo críticas à AR no que toca ao inquérito BPN e sobre a "operação Furacão" no que se refere à PJ.

Sobre o inquérito decidido pela AR interroga-se dizendo que "gostaria que a opinião pública dissesse se preferia saber essas, digamos fofoquices, entre aspas, e peço desculpa pela palavra, ou se gostaria ver justiça feita e os criminosos condenados, e os inocentes inocentados". Sobre a operação Furação disse ter havido factos "anormais" que levaram ao afastamento do processo da PJ.

Tudo isto é matéria suficiente para rastilho de polémica. O PS já veio manifestar o seu desacordo com a Procuradora, embora não se lhe deva dar grande crédito, pois foi o último reconvertido ao inquérito. Já quanto à PJ a situação é, no meu entender, mais grave, porque sendo a principal polícia de investigação fica-se perplexo com o sucedido e sobretudo porque nenhuma luz foi avançada sobre as razões.


Comments:
Incomodou a palhaçada dos políticos que procuram matéria para andar aos tiros "inócuos".
 
Esta srª. magistrada que apresente mas é resultados, até hoje zero, com acusações bem fundamentadas e que prove o crime.

Como até hoje, temos assistido a muito folclore, muita baga e pouco sumo. Cada vez acredito mais que o tal furacão não passa de uma corrente de ar.Esperem e vão ver que tudo acaba como começou.
 
Como a senhora magistrada criou uma equipa VIP (com a PJ de fora) para investigar casos de branqueamento de capitais e evasão fiscal (no meu caso e no da maioria dos portugueses é invasão fiscal), significa que qualquer processo que a PJ investigue de norte a sul do país, passando pelas ilhas, e que cheire levemente a fraude fiscal e lavagem de dinheiro é-lhes retirado e centralizado no tal edifício arrendado só para tratar do Furacão? Até parece que estamos nos EUA! Grande luxo. Eu, que não sou homem de leis, ando a dormir com uma dúvida: Portugal espera RESPOSTA DE UMA carta rogatória do Reino Unido desde 2005? É PRECISO SABER PORQUÊ. Então não há cooperação internacional? Quem é que, neste caso, não quer cooperar? E a quem interessa esta inoperacionalidade? São só perguntas.
 
Santos Cabral e Alipio Ribeiro, ex-directores nacionais da PJ, devem saber. Não deram os agentes que a magistrada queria por tempo ilimitado...ora, pois,....para trabalharem directamente sob a sua alçada (hi...hi...)numa equipa super especial...o que é que queriam? Foram dispensados, claro, sendo chamamos só em casos pontuais. Nem mais! As mulheres são práticas. Se não há tempo para lavar a loiça, não se cozinha, encomenda-se uma pizza.

Agora, se a entrevista incomodou muita gente, como diz o autor do comentário, acho que incomodou sobretudo o Procurador Geral da República.
 
A Procuradora incomodou tanto o Procurador geral que até adoeceu.
Piada. A Procuradora deveria ter avançado algo sobre o afastamento da PJ ou então omitia, o que vem embaraçar as relações PGR/PJ e com um ministro algo a patinar entre as duas instituições piora.
 
Ainda bem que há mulheres afirmativas. Cândida Almeida disse de sua justiça algumas coisas. Se foi "politicamente correcto" ou não, que se lixe. Ou "lixamos" a actual justiça, ou este país não vai a lugar nenhum. É na economia, é nos costumes... os Grandes nunca caem na malha. E nisto alinho com a Procuradora. Até a esquerda quer o inquérito,para quê? Para o fogacho político? Saiam desse lodo e sejam sérios. Não tenham medo de perder uns votinhos, mas com uma denúncia séria.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?