.comment-link {margin-left:.6em;}

2009-03-17

 

O Mau uso das Religiões

As versões mais absurdas de algumas religiões. Ou a instrumentalização do sentimento religioso para as práticas mais absurdas e "criminosas".
Dois exemplos:

Na religião de cá:

O Papa foi a África. Uma visita aos Camarões e a Angola. Proclamou: "A solução para o problema da sida não passa pela distribuição de preservativos".

Segundo a Lusa "O continente africano continua a ser o mais afectado pelo vírus da Sida, concentrando dois terços dos infectados com o VIH, que em Angola atinge 190 mil pessoas, de acordo com os dados mais recentes das Nações Unidas.
... "A sida tem um impacto devastador em África, particularmente em países como o Botswana, Suazilândia e África do Sul, os mais afectados em todo o mundo.
"Cerca de 22 milhões de pessoas estão infectadas na África Sub-saariana, onde morrem três quartos das vítimas de sida no mundo inteiro."

A quantas centenas de milhar de mortes equivalerá - na boca do Papa - uma sentença destas contra o uso de preservativo? Como é possível isto na boca de Bento XVI, um Papa inteligente e um prestigiado intelectual?

Na religião de lá:

Com e sem burka.

Rania al-Yasin (nome de solteira) acaba de nos visitar com o seu marido o rei da Jordânia. Palestiniana da Cisjordânia, mudou-se com a família para o Kuwait, onde teve uma educação ocidentalizada. Frequentou a universidade do Cairo e de Genebra (Suíça). Com a invasão do Kuwait a família mudou-se para a Jordânia onde o filho do rei Hussein, Abdullah, a conheceu, com ela casou e fez rainha ao suceder ao pai.
Rania faz um esforçado e corajoso trabalho pedagógico de libertação da mulher da sujeição a que o Islão fundamentalista e as tribos beduínas maioritárias, no parlamento, suas guardiãs, as obrigam. Obrigam à "escravatura".


Comments:
As religiões são absurdas mas muito lucrativas. Já pensaram quanta massa é necessária para a religião católica manter a sua estrutura? Essa massa vem de muito lado, mas muita vem de donativos pessoais, de gente que tem pouco. Contrapartidas? A infalibilidade do Papa e a salvação e quejandos até a condenação do uso do preservativo. E ainda há quem vá nessa.
 
As declarações do Papa Bento XVI são inqualificáveis. Tendo ele a posição que tem, e o efeito que ele ainda tem nas pessoas, estas declarações não podem passar impunes. Há que mudar consciências, mas com este Papa é impossível.
Saudações
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?