.comment-link {margin-left:.6em;}

2009-04-13

 

A aliança de esquerda em Lisboa?

Sim. Mas quase impossível.

O distanciamento entre as esquerdas é enorme. Nada as une, nem mesmo o perigo quase certo de que é mais uma batalha perdida para a direita. Pelo contrário, como cada esquerda só olha para si e se interroga que dividendos vou ter como organização, a gestão de Lisboa pouco lhe importa. Vamos ao barulho. Esta perspectiva não interessa à população de Lisboa, mas é a que vigora.

Quem se está a rir de tudo isto é Pedro Santana Lopes, potencial devedor.

Comments:
Isto tudo partindo do princípio de que o Partido que afirma ser socialista é de esquerda, o que de todo não me parece corresponder à verdade.
 
Estimado João Abel de Freitas, Obrigado pelo seu texto... é, no mínimo, triste que, com tanta facilidade, as pessoas se fixem na singularidade das árvores, ignorando a dimensão da floresta. Um abraço.
 
Ana Paula Fitas, concordo consigo totalmente, mas se reparar no comentário de Alfredo Silvestre tem exactamente isso, até peço desulpa, mas parece-me que se está perante florestas de composição muito diferente.

João Abel de Freitas
 
Alfredo Silvestre,

Uma nota. Quando se admite apenas a "nossa esquerda", nada há a fazer. É a situação presente e por isso...Não seria de tentar ensaiar alguma flexibilidade?!
João Abel de Freitas
 
Caro João Abel de Freitas

Não se trata da "nossa esquerda" ou da minha esquerda, trata-se de entender que o partido que se autodenomina socialista tem uma prática política de direita e a haver uma aliança com essa formação seria, de facto, uma aliança com a direita e nunca uma aliança de esquerdas.

O que não invalida que reconheça que há no partido dito socialista pessoas que estão convictas da sua filiação à esquerda, mas isso são outros quarenta!
 
Caramba gostaria que alguém da esquerda me defini-se issa mesmo a esquerda. Pois conheço alguma esquerda, uma em particular ( cresci lá ).
E sinceramente que me lembre chamem o Sr. Sampaio.

JN
 
Aí está o novo Blog para quem não quer ver repetida a trapalhada em que Lisboa esteve metida com Santana Lopes:

www.outravezno.blogspot.com
 
Tudo converge para voltar a Lisboa a mesma trapalhada de Pedro Santana Lopes.
Um comentário ainda sobre os comentários de Alfredo Silvestre.
Seria assim tão diferente o PS do tempo em que Sampaio fez a coligação, do PS de agora? Ainda ontem li uma frase de Jorge Sampaio a afirmar que se reconhece plenamente neste PS. Uma outra nota há que distinguir o alcance entre um programa político nacional de um programa de governação para Lisboa, onde certamente os distanciamentos são menores. Não sendo PS, prefiro porém um António Costa à frente da Câmara de Lisboa a um Pedro Santana Lopes.
João Abel de Freitas
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?