.comment-link {margin-left:.6em;}

2009-07-14

 

Temas Unificantes (2)

José Sócrates disse ontem, na apresentação formal da candidatura do PS à Câmara de Lisboa, que "Nunca houve vitórias da esquerda com o enfraquecimento do PS."

Tinha em mente, com certeza, a disputa autárquica em que a "sua" esquerda moderada não conseguiu entender-se com a esquerda moderada de Helena Roseta (que não está a ver o que pode ganhar com uma aliança pré-eleitoral...) nem com a esquerda radical do BE (a quem António Costa "surripiou" o anterior cabeça de lista), nem com a esquerda radical do PCP, compagnon de route dos tempos de Jorge Sampaio e João Soares, sempre desconfiado de que a esquerda moderada faça alguma vez, no governo - da cidade ou do país - algo de substancialmente diferente do que faz a direita moderada em circunstâncias semelhantes.

De certo modo, José Sócrates forneceu a chave do problema ao simplicar, como fez, os termos da equação política. Vejamos, por exemplo, se a inversa é verdadeira, isto é, se as vitórias do PS têm contribuído para fortalecer ou enfraquecer o resto da esquerda.

Ganhar à esquerda e perder à direita é um jogo que o PS tem jogado sempre, deixando cada dia mais frustrados e inquietos os socialistas de esquerda (parece um pleonasmo mas infelizmente não é) dentro e fora do PS. As esperanças de uma nova arrancada para o Governo depressa se diluem em quebras de promessas e afrontamentos bacocos. Os pergaminhos de esquerda são um capital que o PS delapida nos primeiros seis meses de governação.

A resposta é de uma simplicidade brutal: o PS, na oposição, entende-se sempre melhor com o resto da esquerda do que quando está no governo.

Que chatice! Que carma! Será enguiço?

Se cerca de 1/5 do eleitorado tende a alinhar com o BE e o PCP após 4 anos de governação do PS, que restará à esquerda moderada fazer?

Mudar o eleitorado?

Estender a passadeira cor-de-rosa a José Sócrates e pedir-lhe mais do mesmo, ou pensar um pouco... mais à esquerda?

"Nunca houve vitórias da esquerda com o enfraquecimento do PS", mas porque tomará o PS, no Governo, o resto da esquerda como sua adversária?

Parece-me muito estranho...


Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?