.comment-link {margin-left:.6em;}

2009-10-14

 

A boa e a má moeda
















Tal vão os câmbios em tempo de crise.
A diferença entre boa e má moeda cifra-se em 0,00145%
Comments:
A propósito, Raimundo, quer comentar esta notícia do Público?

PS quer expulsar membros que concorreram independentes
A Federação Distrital do Partido Socialista do Porto já deu orientações às direcções concelhias para que façam o levantamento das situações em que militantes do partido se candidataram como independentes e admite mesmo a sua expulsão do partido. Renato Sampaio, líder da distrital portuense, já tinha ameaçado que quem se candidatasse contra o PS acabaria por sofrer as consequências políticas convergentes.
Na intervenção em que assumiu a derrota por o PS não ter conseguido ganhar a Câmara do Porto a Rui Rio, Renato Sampaio acusou alguns militantes de não se terem envolvido na campanha da candidata Elisa Ferreira "tanto quanto deviam". Estas declarações caíram mal em alguns militantes e houve logo quem as lesse como um claro recado. Pedro Baptista, adversário do actual líder distrital, insurgiu-se contra as declarações do presidente da federação, declarando que "o PS é um partido democrático que não admite caça às bruxas".
O líder distrital garante, por seu lado, que os estatutos são para serem cumpridos e que todos aqueles que concorreram contra o partido serão penalizados. "Já pedi às concelhias para fazerem um levantamento do que se passou", revelou ao PÚBLICO, salientando que essa avaliação pode levar à expulsão de alguns militantes. O dirigente não fala em nomes e limita-se a dizer que aqueles que no distrito avançaram contra o partido "já foram derrotados nas urnas".
Além de Narciso Miranda, que além de ter presidido muitos anos à Câmara de Matosinhos e de ter ocupado altos cargos no partido, tendo sido mesmo membro do Governo de António Guterres, e Maria José Azevedo, que encabeçaram listas independentes em Matosinhos e Valongo, uma lista à Junta de Freguesia de Santo era composta por um grupo de independentes da qual faziam parte militantes do PS.

http://jornal.publico.clix.pt/noticia/14-10-2009/ps-quer-expulsar-membros-que-concorreram-independentes-18012881.htm
 
Jamais me ocorreria concorrer contra o meu proprio partido.Em caso de incompatibilidade era meu dever fazer uma escolha previa por uma questão de etica politica.
Porém o PS é o partido mais democratido e tolerante da sociedade portuguesa,( está no seu ADN). O julgamento politico destes casos deve caber ao escrutinio dos seus militantes e eleitores na altura própria.Estou pois de acordo com o Pedro Batista.
 
"O julgamento politico destes casos deve caber ao escrutinio dos seus militantes e eleitores na altura própria." ???

É capaz de me explicar então, para o que é que servem os Estatutos do PS?
 
Acha então o João que é ético que militantes de um partido queiram continuar a sê-lo mesmo que se tenham candidatado por outro partido ou como "independentes"?
 
Quem não saia de um partido contra o qual concorre deve, obviamente, ser expulso.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?