.comment-link {margin-left:.6em;}

2009-11-27

 

Julgamentos na praça pública

Historic photo of Rosewood massacre survivor Robie A. Mortin,
as she helps unveil the Rosewood historical marker at a dedication May 4, 2004.
Photo courtesy, RosewoodFlorida.com


Há alguns dias vi, num dos canais da TV, um filme americano muito interessante, realizado em 1997 por John Singleton e cujo título em português é “Rosehood - O Massacre”. O filme baseia-se em factos verídicos que, resumidamente, descrevo a seguir.

No início de 1923, na Flórida, a comunidade negra de Rosewood é atacada, queimada e tem parte da população morta por brancos de uma cidade vizinha. Tudo isto pelas falsas alegações de uma mulher branca que foi espancada pelo amante, também branco, mas teve medo de contar ao marido e achou mais "conveniente" dizer que tinha sido atacada por um negro. Numa primeira reacção, vários brancos apontam, de imediato, um jovem negro como o culpado e pretendem julgá-lo sumariamente na praça pública e enforcá-lo. Entre estes acusadores está, evidentemente, o verdadeiro agressor. O xerife, branco, tem dúvidas quando à veracidade dos factos, e pretende fazer um julgamento a sério. Mas isso não interessa aos brancos que estão mais interessados em dar vazão ao seu enorme preconceito racial. Esta lógica impõe-se e, daí, resulta o massacre. Anos mais tarde, o Estado Americano reconhece oficialmente a verdade e indemniza as famílias das vítimas. Mas o erro estava feito e a tragédia consumada, sem remédio.

Não sei quantos de vocês viram este filme, mas esta temática tem sido abordada em vários filmes realizados e em vários livros publicados.

Pela minha parte, abomino os julgamentos na praça pública e as razões de preconceito que lhes estão por trás. Mas também sei que, muitas vezes, estes julgamentos são instigados pelos verdadeiros criminosos que, instrumentalizando os que estão sempre disponíveis para dar vazão aos seus preconceitos, se pretendem pôr a salvo dos seus crimes. Por isso, olho sempre com muita atenção e desconfiança para os instigadores dos julgamentos na praça pública.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?