.comment-link {margin-left:.6em;}

2010-01-07

 

[1896] Era do mesmo sexo, alto lá, não tem direito a pôr lápide.

Preconceitos, fanatismo, atavismos, intolerância, ignorância. Por vezes roçando o ridículo. António, era gay, vivia em Cascais e morreu. Raul, seu companheiro, vivia com António em "união de facto" há 31anos. Raul pediu a autorização regulamentar à CMC e colocou no túmulo de António uma lápide singela em mármore:

À memória de
António Horta
Tavares de Bastos
(TOY)


N: 1950      F: 2002

O irmão do falecido protestou junto da Câmara Municipal de Cascais por considerar não ter Raul legitimidade para tal evocação em virtude de se tratar de "pessoas do mesmo sexo" e os serviços camarários conjugando o artigo abc do decreto XPTO com o parágrafo coisa e tal da alínea xyz deram-lhe razão porque António e Raul, diabo, cruzes canhoto, eram do mesmo sexo!! É que a Lei que regula as uniões de facto não atende direitos sucessórios para coisas tão "melindrosas" como isso de uma simples lápide. E pronto a lápide foi desmontada. [Link] Pronto não, agora há tribunal para cá e tribunal para lá.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?