.comment-link {margin-left:.6em;}

2010-08-03

 

Pinto Monteiro tem razão em "meia verdade"

Pinto Monteiro tem razão (é a sua meia verdade) em dizer que, no Ministério Público, vigora um simulacro de Hierarquia e, neste contexto, manda tanto como a rainha de Inglaterra ou no dizer do bastonário da Ordem dos Advogados, Marinho Pinto, nem isso. Toda a gente vê. Procurador Geral, Procuradores Gerais Adjuntos, Procuradores Gerais Distritais fazem de conta.

Mas era bom que o Senhor Procurador não caísse em contradições, consoante as circunstâncias. Não há muito tempo afirmava que estávamos em termos de Ministério Público, no melhor dos mundos. Portugal até tinha o mais autónomo na Europa.

Em que ficamos, afinal?

Sendo mais objectivo, a questão, no meu entender, situa-se ao nível do próprio Ministério Público, ou seja, ao nível de quem o orienta, de quem o gere e não no seu estatuto. É claro como água para toda a gente que o sindicato é um lobby ao serviço de muita coisa e que tem muito poder. Mas só porque lho deram. E a forma como o Ministério é gerido só lhe dá trunfos para ir ampliando esse poder e contrapondo todos os mecanismos para "impedir" o funcionamento da Hierarquia.

Alguma vez se viram resultados de inquéritos dignos desse nome? Os procuradores são independentes, mas não têm que cumprir uma deontologia profissional? Para o leigo atento parece estarmos perante uma classe em que não há regras. Quem consente isso? É o modelo?

Apelar para os governos e oposições sejam quais forem, mas qual a proposta?

Agora a continuar assim, o Ministério Público está a assinar a sua sentença de morte.

Uma provocação final. Mas será mesmo preciso?

Comments:
Qual "meia verdade"? O Ministério Público descambou porque os Pintos Monteiro's que têm lá estado agiram, querendo ou não, contra os interesses da sociedade: uma justiça eficaz e não manipulada.
 
Boa opinião. Vendo bem, nenhum procurador tem agido com firmeza e rigor. Eles são um elo da Corporação, gente privilegiada, com o tempo da vida para tudo, menos para trabalhar naquilo que devem. Andam na intriga, consoante os interesses políticos que defendem. Será que o caso Freeport não deu para ver isso? O Objectivo era cozer em lume brando o Sócrates, ao serviço de quem? De que partidos?
Se havia razões não trabalham para isso os procuradores. Passearam-se e nada apresentaram. É uma vergonha. Acabem com mais uma instituição que só gasta dinheiro.
da Nação.
A.S.
 
De facto, para que serve o Ministério Público?
A PJ investiga, também pode fazer as acusações. Os tribunais julgam. Ponham estes procuradores nos juízes. Até oiço dizer que há falta de juízes. A Procuradoria Geral da República, para quê?
 
Não sei se o problema está em acabar com o Ministério Público. Mas que deviam ganhar mais de acordo com a sua utilidade para o País deviam. Afinal são inoperantes, intrigam e são uma classe privilegiada em termos de salários, não sujeitas a regras.
A continuar, assim, sai mais barato ao País que fechem a loja.
 
O grupo de Pinto Monteiro e o grupo do Sindicato são quem emperra o Ministério Público.O despacho do Freeport é um nojo. O sindicato devia ter vergonha em apoiar e Pinto Monteiro devia ter também vergonha em ter actuado só depois do relatório ser conhecido no exterior.
 
Um comentário ao comentário anterior. Nas Pinto Monteiro actuou? Não se viu. Disse foi uma bujardas e por isso teve logo o apoio de Marinho Pinto
 
Bujardas? Nada, ele quer é manter o tacho. Por isso, tem de dizer umas aqui outras ali. Então o MJ pede-lhe propostas há 7 meses e ele com tantas ideias não dá cavaco?
O PS é bem artolas. Com isto tudo, ainda vem apoiá-lo? Faz mal em meter-se nesta guerra.Mas há sempre uns Vitalino's prontos a falar. É a ribalta.
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?