.comment-link {margin-left:.6em;}

2010-12-18

 

Os prisioneiros eram engordados antes de serem mortos para venda de rins e outros órgãos

Mas estamos a falar de quem? Do 1º ministro do Kosovo, "eleito" pela NATO, em 2008 e talvez reeleito em eleições no domingo passado, Hashim Thaçi.
Um relatório aprovado pela Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, resultado da investigação, durante 2 anos (2008-2010) do magistrado suíço Andy Sparkes, nomeado por esta organização e tornado público em Paris, esta 5ª f., 16 de Dezembro de 2010, revela que os membros do UÇK (Exército de Libertação do Kosovo), chefiados pelo actual 1º M do Kosovo, Hashim Thaçi, que no fim dos anos 90 desenvolviam uma guerrilha pela independência desta província Sérvia, de maioria albanesa, constituíam uma organização terrorista dedicada ao tráfico de armas, de heroína e de órgãos humanos. Revela o relatório, com grande escândalo, que o UÇK mantinha, no fim dos anos 90, os prisioneiros sérvios, em cárceres secretos na Albania, até encontrarem clientes, em geral estrangeiros, para rins e outros órgãos, momento em que lhes davam um tiro na cabeça e procediam ao negócio. O relatório afirma que a prática dos crimes se mantêm até hoje. [El País]
Mas como poude este ser abjecto tornar-se 1º ministro do Kosovo?
Quando no fim dos anos 90 a Sérvia não se dispunha a tornar independente uma província sua, o Kosovo, aliás berço da nacionalidade sérvia, os EUA com o apoio interesseiro da Alemanha e os restantes países da UE a reboque, "convenceram" a Sérvia com ataques aéreos a Belgrado. Vencida a Sérvia, o Kosovo transformou-se num protectorado norte-americano em parceria com a União Europeia que paga as despesas. Em 2008 foi finalmente decidida a independência do Kosovo e o Governo entregue pela NATO/UE ao dirigente do Partido Democrático do Kosovo, entretanto criado, a partir do UÇK e dirigido pelo chefe deste grupo terrorista. Neste último domingo este partido ganhou as primeiras eleições legislativas com 33% o que recolocará Hashim Thaçi no lugar de 1ºM se o direito, a justiça, a honra,  ignorar o que se passa, como aliás é o mais provável.

Mas o passado de Hashim Thaçi não era conhecido dos norte-americanos, e das autoridades da UE?

Eis o que diz "El País":
"O passado criminoso de Thaci não é um segredo para ninguém nem nas capitais europeias nem em Washington. "Eu identifico muito bem os terroristas e estes homens são terroristas" declarou nos finais dos anos 90 o enviado especial do presidente Bill Clinton aos Balcans, Robert Gelbard, sobre o grupo que então Thaci encabeçava. Porém este guerrilheiro y o UCK converteram-se logo em ponta de lança dos EUA na zona e, como lamenta Marty no seu relatório, Thaci goza da protecção dos seus mentores norteamericanos"

O UÇK fazia parte da lista de organizações terroristas dos EUA até ao momento em que Thaci passou a ser o "seu" terrorista. A partir daí Thaci transformou-se em paladino da liberdade e seguramente dos direitos humanos (daqueles humanos que precisam de órgãos, heroína ou armas)

Então e a União Europeia que até tem no Kossovo uma Missão especial? Bem a Alemanha foi dos primeiros países a atear o incêndio da guerra nos Balcâs para colocar sob a sua influência a Croácia e a Eslovénia visto que a Jugoslávia, onde a Sérvia predominava, não prestava vassalagem aos interesses alemães Portanto, na Jugoslávia, a Alemanha tinha interesses coincidentes com os dos EUA e contrariar a América, ainda por cima apoiada pela Alemanha era independência a mais para os hábitos europeus.

E relativamente a esta matéria que vai a UE fazer? Diz que vai examinar o relatório e tal...

A imprensa nacional não traz, a este respeito, metade das notícias do El País. Mas para quem não goste do Castelhano tem o Público, ou o JN.

_______________________________________________________

Kosovo: "cerca de dois milhões de habitantes (90% de origem albanesa) e uma superfície de 10,8 mil quilómetros quadrados (um terço da área do Alentejo), o Kosovo é hoje considerado pelo Banco Mundial um dos países mais pobres da Europa.

Às eleições de 2010-12-12 concorrem 29 partidos políticos, coligações e movimentos independentes, para 120 lugares do Parlamento.

Na sequência da proclamação unilateral da independência, em Fevereiro de 2008, o Kosovo foi reconhecido por 72 países, incluindo os Estados Unidos, e 22 dos 27 Estados-membros da União Europeia. Portugal que não tinha nenhum interesse em fazer este frete aos EUA e à Alemanha, esgotou a independência num ano. A Espanha, com os problemas independentistas do País Basco e da Catalunha, recusou.

Etiquetas: , , ,


Comments:
Real Politik, que também existe à esquerda. Ou não?
 
Situação em que o governo de António Guterres foi cumplice ao colaborar no bombardeamento da Jugoslavia pela NATO.
 
A única vez que apanhei da polícia foi numa manifestação, algures nos princípios dos anos 70, a favor de dois independentistas catalães, se não me engano. Hoje, depois de ter conhecido alguma coisa sobre a natureza desses independentistas/nacionalistas, nomeadamente o basco, nem as condenações franquistas me fariam mexer um dedo. As "revitalizações culturais" no País Basco não diferem assim tanto das purificações nazis, atenta a disparidade de circunstâncias. Ainda estou à espera que os sérvios possam voltar a suas casas na Eslavónia, na Krayna e na própria Bósnia. Uma vergonha a suposta superioridade moral das "democracias". O que agora se passa com o criminoso do Kosovo é, em diferente medida, a mesma indiferença com que se tolerou o fascista Franjo Tudjam, o "pai" da Croácia e negacionista dos crimes no protetorado hitleriano
 
Abjeta toda esta gentalha que governa o mundo.
 
Parabéns pelo post.
Copiado para o Luminária.blogs.sapo.pt
Xa2
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?