.comment-link {margin-left:.6em;}

2011-03-30

 

A crise mundial e a transferência de riqueza

O Senhor Raymond McDaniel, em 2010, recebeu 10 milhões de dólares em salários e prémios de desempenho.
Mas quem é McDaniel? É um Senhor que foi "alvo de críticas de agentes económicos e líderes governamentais, acusado pelo Congresso norte-americano de ter tido forte responsabilidade na primeira crise financeira do novo século (. É o presidente da Moody's, relativamente ao qual o relatório da comissão do Congresso dos EUA diz que:
"Concluímos que as falhas das agências de notação foram engrenagens fundamentais na máquina de destruição financeira. As três agências (Moody"s, Standard & Poors e Fitch) foram ferramentas-chave do caos financeiro. Os produtos relacionados com hipotecas [subprime] não se teriam comercializado e vendido sem o seu selo de aprovação. Os investidores confiaram nele, muitas vezes cegamente..."
Aquela respeitadíssima agência de rathing que pouco tempo antes do Lehmon Brothers falir lhe dava notação máxima: AAA, é a mesma que agora vai com igual profissionalismo baixando e rebaixando a notação de Portugal e outros países em dificuldades.
Como se explica isso? É que as principais agências de rathing são meros instrumento daqueles grandes bancos que lançaram (e lançam) o mundo na maior crise mundial desde 1929. São os "Lehman Brothers"  que pagam a estas agências como não se paga a príncipes e eles "fazem o seu trabalho".
E baixam a cotação de Portugal ? O negócio é o mesmo. Roubar ardilosamente, vendendo gato por lebre, produtos tóxicos, ou causticar quem no momento menos lhes pode resistir subindo os juros até ao céu. É roubo, puro e simples, mas... regozijemo-nos, é um roubo  sofisticado, "científico" e, alto lá, legal! São os Mercados pá!! A crise financeira e económica está a ser aproveitada para uma astronómica e brutal transferência de riqueza das classes médias e classes trabalhadoras para os novos príncipes da finança através, mas não só, das reduções de salários, das reformas, das prestações sociais.
Mas não foi só o presidente da Moody's a ser recompensado:

"Segundo as contas ontem avançadas pelo jornal El País, o aumento global para os executivos da Moody"s foi de 60 por cento, o que os leva para um volume salarial total que é o dobro do verificado em 2005. Isto apesar de a agência, nesse período, ter visto os resultados operacionais da companhia caírem 17 por cento e o lucro líquido quase 10 por cento."

Etiquetas: , ,


Comments:
rating the ra thing?

a baixa é muito rápida isso é

mas tem algumas razões de ser

à medida que as taxas de juro sobem

torna-se mais difícil pagar
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?