.comment-link {margin-left:.6em;}

2011-03-06

 

Não vi ontem o festival da canção

... Mas parece ter sucedido o inesperado e uma grande atrapalhação.
A classe política tem de estar atenta a estes fenómenos que se estão a avolumar. "Os Coelhos" não aparecem por acaso embora pareça e apesar de estar a deitar fora o "capital" obtido. Os resultados da votação do festival também não me parece um acaso.
E as manif´s que se avizinham também não.
Embora sem qualquer coordenação é evidente que todos estes fenómenos tem de comum: o descontentamento social.
O povo, os jovens, não entendem o que está a acontecer neste País, o empobrecimento e, sentem revolta. Sentem que muita, muita coisa está mal e quem sofre as consequências são os mesmos.
Sentem que os partidos, os sindicatos e outras muitas associações dizem mais do mesmo. Olham para eles como organizações que só defendem interesses de grupo.
Mas sobretudo a juventude anda indignada, embora muitos admitam que não têm experiência de contestação e quem a tem, as jotas, são carreiristas, não as querem nestas movimentações.
Ouvi isto de vários jovens.
Dá que pensar.
Os partidos, os sindicatos ou se renovam interiorizando estas questões de revolta ou entram em declínio.
Estamos a perceber que haja gente a falar de novos paridos e começa a ver-se espaço.

Comments:
Não se ponham atentos, não.!
Gozem com a juventude!Podem vir a perder os tachos.
 
Grande descontentamento social e empobrecimento, estes dois factos podem potenciar circunstâncias muito desagradáveis no País, tanto mais que estamos fartos destes políticos, oposição e governo. O 25 de Abril foi óptimo mas foi logo traído. Já se aprendeu muito e agora fazer um novo é de certeza com mais garra e p'ra ficar.
 
Queremos um país mais rico para todos e não só para alguns. Por isso vou à Manif.
 
Também não vi, e pelos vistos não perdi nada. Terá sido tão deprimente quanto certos comentários que já li por aí... Cumprimentos.
 
Olá LT.
Mulher, mas não super.
Fui ao blog e não percebi se é defeito, feitio ou complexo.
Pareceu-me mais uma frustação de não ser super e daí complexo.
Terei entendido bem?
A:C
 
Esta stória de classificar as gerações como se de colheitas de vinho se tratasse é patética. Esta geração é produto da anterior a que se acrescentaram as circunstâncias. A característica mais notória a meu ver é a "despolitização". Não querem isto desemprego, trabalho precário; a direita tenta espicaçá-los contra os "privilégios" dos pais..., alguns parece que acreditam... Nem sonham que à retirada dos ditos "privilégios" não corresponderá qualquer melhoria vão é eles próprio não ter quem lhes dê poiso e o jantar, porque os que lhes estão a soprar contra os instalados não querem acabar com a sua precariedade, querem é estendê-la a todos: novos, menos novos e velhos . O que é preciso é entender as reais causas do desemprego e do empobrecimento da esmagadoríssima maioria. Então os pais do jovens egípcios também são privilegiados????!!!! . É preciso entender, ver para além das aparências e ver os fios com que se tece a miséria de todos nós.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?