.comment-link {margin-left:.6em;}

2011-04-03

 

As eleições ainda vêm longe...

... e os cenários eleitorais são muitos e variados.

Agora muito dependerá da campanha e do recurso ou não antes ao resgate da dívida (Era bom que se ajustasse a linguagem. Não se trata de ajuda externa como bem disse Miguel Cadilhe e outros, mas sim de resgatar a dívida).

Não é por acaso que a direita portuguesa e Cavaco Silva e até a comunicação social (grande parte) todos os dias nos matraqueiam os ouvidos com a necessidade do recurso ao resgate. Até já houve datas marcadas. Uma delas hoje.

A nível internacional a pressão não é menor para que Portugal ( ou seja este governo) inicie o processo.

O governo tende a resistir. Aliás, se alguma coisa positiva se lhe pode assacar, essa será uma delas. O governo de José Sócrates tem feito tudo para evitar o resgate

Ao contrário, Passos Coelho anda feliz com a possibilidade de o FMI cá entrar. Seria uma forma de fazer passar medidas bem duras com a desculpa de que foram impostas pelo FMI.

Passos Coelho na campanha eleitoral será a personificação do Senhor FMI e encaixa-lhe muito bem pelas posições que tem vindo a defender.

Agora sobre os resultados eleitorais e cenarização. Imagine-se um cenário em que o PS tenha maioria.

Qual poderá ser a atitude de Cavaco, para além da grande derrota que teria de encaixar e para o que não tem a estatura devida?

Santana Lopes diz que não há outro caminho, a não ser a demissão de Cavaco Silva da Presidência.

Pensando bem ... também acho que não restam muitos caminhos.

E até me parece que os eleitores lhe podem pregar essa partida, porque Cavaco Silva mesmo ganhando as presidenciais, ganhou ferido, pois não explicou coisas simples que foram colocadas como as acções do BPN , a casa no Algarve, etc.

Cavaco Silva saiu ressabiado (aliás já vinha desde o estatuto dos Açores e das escutas) e começou a congeminar deitar este governo abaixo, metendo na gaveta aquela ideia tão apregoada de que é o Presidente de todos os portugueses. Nesse sentido "demitiu-se" das suas funções e nada fez para evitas eleições, ou melhor fez tudo para que fosse esse o caminho sem recuo.

A facilitação do caminho para FMI entronca neste ressabiamento e na actuação de um Presidente que visa claramente beneficiar uma ala política do país (a direita nacional).

Etiquetas:


Comments:
Sim, sim Cavaco Silva pode sair muito chamuscado desta eleições.
Assentava que nem uma luva sair da política pela porta de trás. Este país merece um outro PR. Mas este é que rodou o carro no tempo certo
 
Mais desagradável é constatarmos que este PR medíocre é o resultado da mediocridade de grande parte da gentinha que povoa esta parte da Europa.
com os cumprimentos do Zé Encavacado
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?