.comment-link {margin-left:.6em;}

2012-05-11

 

Vamos dar-lhe uma oportunidade! Está bem?

Foi hoje. No Centro Cultural de Belém, em Lisboa, na tomada de posse do Conselho para o Empreendedorismo e a Inovação. A lamentável criatura, segundo aqui se relata, lamentou que «a cultura média» em Portugal seja a «da aversão ao risco» e que os jovens licenciados portugueses prefiram, na sua maioria, «ser trabalhadores por conta de outrem do que empreendedores».
E considerou que o desemprego não tem de ser encarado como negativo e pode ser «uma oportunidade para mudar de vida».

"Passos Coelho referiu-se em especial aos portugueses que estão sem emprego:
«Estar desempregado não pode ser, para muita gente, como é ainda hoje em Portugal, um sinal negativo. Despedir-se ou ser despedido não tem de ser um estigma, tem de representar também uma oportunidade para mudar de vida, tem de representar uma livre escolha também, uma mobilidade da própria sociedade».

É esta constrangedora figura o 1º M que temos. O currículo político foi ser amamentado na JSD e no aparelho partidário e o currículo profissional esgota-se na engorda nuns conselhos de administração oferecidos pelo seu padrinho, o Eng Ângelo Correia. Esta criatura, que da vida dos Portugueses o que conhece é o biberon partidário e altas remunerações de favor, aparece contentinho a dizer estes despautérios, sem se aperceber que ofende o país, ofende os portugueses à beira do desespero com a maior taxa de desemprego e de empobrecimento das últimas quatro décadas.

Dizem-me que o homenzinho não é propriamente um tolo inocente. Pouca cultura,  ignorância, é certo, mas muita espertice saloia, mentir como técnica. Mentir, mentir com ar de bom rapaz. Como quem fala verdade. Que enfim... faz o mesmo que tantos outros. Espreita de que lado sopra o vento (é de Berlim? É dos Espírito Santos, dos Soares dos Santos, das Isabel dos Santos? Santos, Santos, Santos, donos do país?) e trata da vidinha. Da sua e dos seus. Aliás, para que havia de servir a política? Né!

Vamos despedí-lo?! Dar-lhe uma oportunidade!

Comments:
Tem razão na adjectivação. Por muitos dos seus predicados, os tugas votaram nas listas do partido que o tinha como cabeça de cartaz. Mas se olhar para trás o que vê nos figurantes e figurões que antes ocuparam o lugar agora dele? Olhe o Mário Soares! E o C.S., lembra-se das figuras que fez? (deixem-nos trabalhar gritava um dia!) Bem , o Guterres era um apaixonado, não se perecbeu bem pelo quê. O seu grande legado foi o início do endividamento assente na bacoca ideia de que as contas com o exterior já não tinham interesse !!!! sim, sim um seu Sec. de Estado disse-o!!. Depois veio o tal que se parecia com o cherne, esperto esse! O Santana..(sim foi primeiro ministro e só caiu com um golpe de duvidosa constitucionalidade do Sampaio!!) o asseadinho do Sócrates e a sua rapaziada .. que serviço, que ideias...
Também, num sítio que se elegem (ostensivamente!) condenados por roubo, corrupção etc. que se espera?
 
Sim, sim, não ter emprego gera várias oportunidades, a do roubo, a do suicídio, a dos assaltos, a da emigração, a da prostituição e muitas outras.
 
Desempregado é não ter emprego ou não ter trabalho?

Primeiro defina-se e depois defona-se.

Talvez o Passos tenha razão.
 
Este rural é de facto um cromo. Quando tanta gente procura trabalho e não tem vir com essas chineses de emprego e trabalho é de cromo pretensioso.
 
O rural não vai em choradinhos.

O rural deixa o charadinho para os fadistas de outros tempos.
 
Oh senhor rural porque não se afirma como adepto de Passos Coelho? Tenha coragem e não se esconda.
 
Caros comentaristas agradeço o vosso trabalho que não é emprego;)A opinião é livre e aqui no Puxa decidimos não a impedir a ninguém~
Obrigado a todos
 
Muito bem dito, companheiro!

Abraço

Luís Carvalho
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?