.comment-link {margin-left:.6em;}

2012-09-05

 

Corrupção? Mas qual corrupção?


Atenção! Isto é lá Brasil
__________

Cândida Almeida, a procuradora-geral adjunta e diretora do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) foi convidada a ir à "universidade de verão" do PSD e explicou isso da corrupção. Foi óptimo. Garantiu que os políticos em Portugal não são corruptos. Que Portugal é dos países onde há menos corrupção.
Uff, até que enfim que alguém vê as coisas a direito.
Explicou até o que é corrupção, como é que se prova que houve essa coisa e que o pessoal por aí, o pessoal da rua e dos jornais, não percebe nada disso, faz confusão.

Em conclusão - se bem entendi a explicação - para se provar que há corrupção é preciso:
1º - que o corruptor (agente ativo) declare que deu a massa e não só deu a massa como a deu com a intenção de corromper;
2º - é preciso que o gajo que recebe (agente passivo) confirme e, isso é muito importante, não vá o primeiro estar a mentir.
3º - mas alto lá! é necessário haver pelo menos duas testemunhas idóneas que tenham visto o dinheiro ir do bolso de um para o bolso do outro porque aqueles dois, o activo e o passivo, podem estar a querer aldrabar as autoridades.
4º - Por fim e não menos importante é necessário que a coisa não tenha já prescrevido porque se prescreveu... se prescreveu... não houve. Não houve nada, mesmo nada.

Foi isto, mais ou menos, o que eu entendi que a Senhora disse,  porque o que ela disse exatamente foi com aqueles termos jurídicos rigorosos e científicos que o povo por aí, como eu, não enxerga completamente.

Gostei de ouvir a Senhora Doutora, pareceu-me ser pessoa de bem, que pratica o bem e não quer cá confusões. E aumentou a minha auto-estima como Português patriota que sou. Espero que o governo, o Passos e o Relvas, a proponham para PGR.

Mas... lá está! os jornais sempre a criarem confusão.
 
Olhem o CM e o Público hoje: que a ESCOM (do grupo BES) recebeu pela consultoria na compra dos submarinos 30 milhões de euros, que o seu trabalho não valia mais de 5 e que assim sobejaram, para "aquela coisa", 25 milhões. Não contente relacionou o caso com aqueles célebres 105 depósitos do CDS, contribuições de amigos do partido,em sacos de notas, em 3 dias, numa conta do BES, num valor de 1 milhão e tal de euros e falou ainda em "offshores". Que Paulo Portas que foi apanhado numas escutas em 2009 [sim que isto vem 2004] revelava-se muito agitado e mudava de telemóvel para telefone fixo, quando se descobriu mais uns papéis do negócio dos submarinos. Uns papéis mal feitos, acho eu.
 
"A associação que o Ministério Público desenha entre o caso dos submarinos e Paulo Portas, em documentos ora libertados do segredo de justiça, levou o actual ministro dos Negócios Estrangeiros a pedir esclarecimentos ao DCIAP. Na terça-feira, [2012-09-04] a directora deste organismo, Cândida Almeida, respondeu que não tem indícios de crime contra o visado. A investigação é contra desconhecidos." [Público de hoje]
 
Respirei fundo. A investigação é, felizmente, contra desconhecidos, e oxalá não se venham nunca a conhecer senão como ficava a imagem do nosso país!?

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?