.comment-link {margin-left:.6em;}

2013-04-05

 

Sem honra nem vergonha

Aqui, em Julho de 2012, defendi que face ao escândalo da licenciatura de Relvas “na forma tentada” era melhor o 1º M não afastar Relvas e julgo ter tido razão. Era melhor para o país porque era péssimo para o Governo. Passos Coelho ao qualificar como "uma não notícia" a da burla da licenciatura do seu "braço direito" no Governo revelava ao país que o 1ºM considerava perfeitamente compaginável com a decência exigível a um Governo a presença nele de um burlão e desnudava assim o seu próprio carácter. O escândalo  da continuação de Relvas no Governo revelaria todos os dias a verdadeira imagem deste, a sua falta de idoneidade, a sua desqualificação e assim tornaria mais fácil derrubá-lo.
A declaração de Relvas e as desculpas tolas que apresenta para se demitir do Governo são bem o retrato da pessoa sem honra nem vergonha que nenhum Estado que desejasse ser respeitado toleraria. Um 1º M e um PR que acham normal e aceitável ter como ministro o Sr. Miguel Relvas não podem deixar de estar no mesmo patamar político e ético daquele.
Aliás, segundo o que é público, o passado de negócios da parceria Relvas-Passos na utilização para benefício pessoal dos recursos do Estado, coloca o primeiro, então Secretário de Estado de Durão Barroso, na posição de chefe e o segundo, como gerente da Tecnoforma, na posição de subalterno. As cumplicidades antigas explicam a incapacidade de Passos se poder desembaraçar de Relvas. E revelam que a diferença de estofo moral entre um e outro não é nenhuma. O que os distingue é que um foi mais exposto à execração pública que o outro.

Aliás, na declaração que hoje Relvas  fez a “explicar” o seu pedido de demissão não deixou de sublinhar, despudoradamente, que se Passos Coelho hoje é o presidente do PSD e 1º M a ele o deve e que apresenta a sua demissão por iniciativa própria a sublinhar que de acordo com a hierarquia dos seus valores políticos e partidários o subalterno não é ele.  Vendo o país, até à náusea, os protesto populares que perseguem Relvas por todo o lado, de Gaia ao ISCTE, de França a Timor a ponto de não o deixarem pôr pé na rua é patético ouvi-lo dizer que sai por sua livre vontade por "falta de força anímica", etc.
S. Bento e Belém colocam Portugal no patamar ético e civilizacional do Burkina Fasso - não desfazendo, como se dizia antigamente na minha terra. Link   Link

Apesar de todas as pressões em contrário por parte do Governo espero que o Tribunal Constitucional ponha em causa se não todas pelo menos algumas das medidas inconstitucionais do Orçamento de Estado, como o roubo das pensões e novos impostos. Mas é minha convicção que o Governo não se demitirá. Só cairá se forçado a isso como sucedeu a Relvas. E forçá-lo a cair só com a ajuda da rua, como aqui disse. Continuemos então a "grandolar" este governo ilegítimo, morto mas insepulto, para que não infecte mais ainda a vida dos portugueses.
______________
Video de Relvas enxovalhado/"grandolado" em Gaia: link. 

Comments:
Na mouche
JLF
 
Que este é charlatão, ninguém duvida, só parece que ainda as há(dúvidas) por estas bandas é relativamenta ao outro, o Pinto de Sousa...
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?