.comment-link {margin-left:.6em;}

2013-05-16

 

Há os Alemães e os outros Alemães

A Alemanha é, também, um país de contrastes.  É o país de Hitler mas também o país de Marx, é o país de Goebels e de Himmler, mas é também o país de Beethoven e de Einstein. E quanto  à distribuição da riqueza e à sua evolução também há grandes contrastes? Vejamos:
 
1995 - 10% dos alemães mais ricos possuem 45% da riqueza privada do país.
2012 - 10% dos alemães mais ricos possuem 53% da riqueza privada do país.
 
1995 - 50% dos alemães menos favorecidos possuem 4% da riqueza privada do país.
2012 - 50% dos alemães menos favorecidos possuem 1% da riqueza privada do país.
 
Estes dados dão sustentação à tese de que, objetivamente, um operário ou um cidadão da classe média português tem interesses mais próximos dos de um operário alemão ou de um alemão da classe média do que de um banqueiro ou de um  grande empresário português. E vice-versa. Mas frequentemente isso não é assim entendido pelos próprios. E, como se sabe, o nacionalismo, ao contrário do internacionalismo, assim como a demagogia e a mentira sistemática que hoje caracterizam o governo em Portugal tem o objectivo de obnubilar essa realidade.
 
Apesar das vantagens comparativas que a Alemanha tem obtido na gestão da crise desde 2008: taxas de juro baixíssimas e até negativas ou o menor desemprego das últimas décadas, já está a ser atingida pela política austeritária, uma verdadeira tara, que impôs à zona euro pois as suas taxas de crescimento já estão a convergir aceleradamente para zero.
 
Interessante é também constatar que os três estados federados mais ricos da Alemanha Baviera, Hesse e Baden Wurttemberg não querem que a sua riqueza seja compartilhada com o resto da Alemanha e querem que a legislação vigente seja alterada. Egoísmo idêntico ao da Catalunha ou do País Basco em Espanha. Eles são os Estados mais ricos e portanto os outros alemães que se danem.
Não, não estou a dizer bem Baden Wurttemberg não se solidarizou com os outros dois Estados ricaços e apoia a solidariedade nacional. Não por acaso o governo de Baden Wurttemberg é dirigido por um verde numa coligação Verdes/SPD e a Baviera e o Hesse são governados pela CDU da D. Merkel.
_____________
Nota: Fontes: Eurostat, El País e Visão.

Comments:
Toca num aspecto curioso. Concordo inteiramente com a associação quase sempre presente entre egoismo/nacionalismo/separatismo/autonomismo etc etc.Esta associação é verificável na Alemanha, é-o também em Espanha; atente-se nos estereótipos difundidos no Pais Basco e na Catalunha, nomeadamente, sobre os "gitanos" preguiçosos do Sul que eles supostamente sustentam. Estas ideias perpassam permanentemente na propaganda dos partidos nacionalistas, basta ler um jornal como o EGUIN (basco), ainda que de forma mais elaborada. No País Basco os nacionalistas defendem e divulgam uma ideologia identitista como muitos pontos comuns ao nazismo (critérios da pureza sanguínea etc).
Mas os curioso, curioso é a forma acrítica como a Esquerda apoia todo e qualquer movimento ou reivindicação autonomista regionalista ou independentista
Ao ler a imprensa basca (independentista) ou catalã, não posso deixar de me lembrar de quando o antigo Vice-Rei, Eurico de Melo, "desce" a Lisboa para acabar com o governo com a ribombante declaração de que vinha em representação do "Povo que trabalha".
Pois a Esquerda tem coisa muito engraçadas...
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?