.comment-link {margin-left:.6em;}

2010-11-11

 

Contrariar a receita de Cavaco Silva, contrariar a lógica dos mercados

É necessário fazer o contrário do que advoga Cavaco Silva. É necessário contraria a lógica dos mercados e não prostrarmo-nos perante eles.
A grande crise foi provocada pelos todo poderoso sistema financeiro globalizado. Ela afecta quase todos. De fora fica a oligarquia financeira e em primeiro lugar os causadores da crise.  
As grandes crises saldam-se sempre por uma brutal transferência de riqueza da  generalidade da população que empobrece para uma pequena minoria que enrique ainda mais.
A transferência de riqueza verifica-se dentro de cada país e de uns países para outros. No caso da União Europeia de forma flagrante dos países em maiores dificuldades, e/ou com economias menos competitivas, como Portugal, para os mais ricos e competitivos, em primeiro lugar e descaradamente para a Alemanha.
De momento é esta a "solidariedade" e "coesão nacional" na UE. O saque dos países mais pobres e/ou em maiores dificuldades pelos países mais ricos e competitivos.
A solução da grande crise foi entregue aos seus causadores e aproveitadores.
Porquê?
Ora porque têm tal poder e influência em muitos destes governos que praticamente estes são os seus governos. Nos casos em que a situação é diferente os governos ou não têm condições políticas para se lhes oporem ou, por razões ideológicas e receio dos riscos, não se dispôem a impulsionar uma forte mobilização dos atingidos que, pelo menos, poderia e deveria levar a uma mais equitativa distribuição dos sacrifícios.

Uns terão de tirar o filho do infantário e outros" terão de fumar um charuto a menos por semana". 

E, é claro, não me estou a referir aos ordenados dos políticos mas às receitas dos que auferem valores incomparávelmente superiores. Refiro-me àquele tipo de gente para a qual Nos EUA havia uma taxa de IRS de 70% desde Franklin D. Roosevelt até aos anos 70 e que Eisenhower, chegou a subir para 90% (sim sim, 90%. Ver Paul Krugman em A Consciência de um Liberal, Ed Presença, pág 256)
Em Portugal é necessário diminuir o fosso entre os mais carenciados e os "barões" do dinheiro o que, em grande medida corresponde a contrariar, em Portugal as políticas do incauto "liberal" Passos Coelho e na UE a Senhora Merkel e a lógica dos  mercados.
Em resumo, fazer o contrário do que advoga Cavaco Silva. Não reverenciar a lógica dos mercados mas contrariá-la.

Etiquetas: , ,


Comments:
Excelente texto.

Só lhe falta acrescentar que a 'diplomacia económica' dos PIGS (Port.,Irl.,Grécia, Esp.; em bloco aliado) não está a funcionar junto das instâncias da UE, no sentido de tomarem fortes resoluções para acabar ou limitar os estragos (nas economias nacionais, no emprego, nas famílias) dos 'mercados' (banca, bolsas, especuladores, agências de rating,... e paraísos fiscais).

Até parece que os governos dos PIGS não estão a representar os interesses da maioria da sua população, mas sim os interesses da banca e grandes empresas, os interesses das minorias oligarquicas dos seus países!!
Permitindo-lhes enriquecer ainda mais à custa das classes média e baixa, que ficam cada vez mais pobres e desgraçadas.

Zé T.
 
É notória a transferência da riqueza dos mais pobres e das classes médias para os mais ricos através do mormal funcionamento do mercado. E a crise é para o cara de pau do Ricardo Salgado e congéneres uma boa oportunidade de enriquecerem à custa dos economicamente mais frágeis. Os bancos finaciam-se junto do BCE a baixos juros, para depois comprarem dívida pública a altos juros, que as classes baixa e média irão pagar.
São estes os mercados defendidos por Cavaco, tão amiguinho que ele é do povo.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?