.comment-link {margin-left:.6em;}

2011-07-09

 

O que mudou em Cavaco? Ou então o que fez mudar Cavaco?

Cavaco Silva mudou muito pós Sócrates. Basta ver o tipo de intervenção. Agora passou a defensor de que este governo (Passos Coelho) estava a trabalhar tão bem, já tinha anunciado que nos caçava 50% do rendimento equivalente no subsídio de Natal (será isso?) e lá vêm estes malandros das Ratings americanas afinal não acreditar que o governo cumpra o acordo com a Tróica.

Houve até quem fosse longe demais dentro do PSD (Carlos Moedas) e tenha insinuado que bastaria a queda de Sócrates e as notas das Ratings iam subir. Cavaco Silva não foi tão longe, mas dizia que a culpa das notas baixas era só nossa (entenda-se do governo de Sócrates) porque não fazia o trabalho de casa, ou seja ainda não tinha cortado 50% e outros mais cortes e despedimentos que estão à espreita, embora já tivesse feito algum trabalhinho.

Cavaco agora está nas suas sete quintas e deve ter feito "um pacto" com Passos Coelho para também mandar. Cavaco só sabe estar assim. Com Sócrates, diz-se que com mau fatio, a partilha era complicada.

Cavaco que havia quem o considerasse tendencialmente um social democrata de direita, agora mostra que afinal é muito mais adepto de Friedman seja porque agora convém seja porque é de facto apreciador e tanto assim é que já anda a apregoar os privados na saúde como se não estivessem e com grande destaque.

Etiquetas: ,


Comments:
Cavaco Silva sente-se El Comandante Hugo Chaves.Pode pôr e dispôr. Só lhe o petróleo que ainda não há no Algarve.
 
A CONSPIRAÇÃO DOS ESCROQUES
1.

A presente crise da dívida soberana de vários países europeus, particularmente da Grécia Irlanda e Portugal, não passa de uma conspiração montada pelos senhores do dinheiro para reforçarem o seu poder à custa da miséria de uma parte cada vez maior das nações. Os escroqes da Golman Sachs e agências de notação de crédito como a Moody`s são os homens de mão dos senhores do dinheiro para proporcionarem esta transferência brutal de rendimentos das classes médias e baixas para a minoria de poderosos. Provas desta afirmação temerária: o papel de gente como Mario Draghi e as políticas que conseguiram impor em todos os países, mesmo através de partidos que se dizem de esquerda, como sucedeu em Portugal, que abrem depois o caminho à direita para que este tenha legitimada pelos partidos ditos socialistas a política de terra queimada como a que o Passos Coelho está a levar a cabo.O próximo presidente do BCE será Mario Draghi, que irá tomar posse em breve do decisivo cargo de presidente do Banco Central Europeu. Este indivíduo, que foi presidente do Banco Central da Itália, está implicado na falsificação das contas da Grécia, como vice-presidente do Goldman Sachs Europa tendo a seu cargo operações nesse país de 2002 a 2006.

Não é difícil perceber quem o promoveu a esse cargo decisivo e com que finalidade.

A sua função irá ser conduzir ao extremo a política de terra queimada que a direita conservadora, capitaneada pela senhora Merkl, está a levar a cabo na Europa.

2.

Mas porque consegue ditar a Alemanha as suas leis ao resto da Europa?

Desde logo porque tem um enorme excedente comercial, que corresponde ao défice comercial dos países do sul da Europa.

Será porque os alemães trabalham muito mais e muito melhor que os restantes europeus?

É claro que não. O caso dos submarinos vendidos à Grécia ( 4) e a Portugal (2), e outros similares, demonstram à saciedade como a corrupção está por detrás desses grandes negócios.

As trocas comerciais com os países do Magrebe são altamente prejudiciais às pequenas economias europeias. Por exemplo, há bens que se forem vendidos pelas empresas das zonas francas de Marrocos à União Europa não pagam impostos. Mas se forem vendiodas em Marrocos pagam taxas muito elevadas.

Estes acordos, gravemente prejudiciais a países como Portugal, foram impostos pelos senhores do dinheiro alemães.

3.

Não posso deixar de me rir quando gente como Coelho e Portas gritam agora contra a Moody´s.

Não eram eles que ainda há quinze dias garantiam que as agências de rating faziam apenas o seu trabalho, e que tudo estava mal apenas por causa de Sócrates?

Agora que substituiram Sócrates e as agênicas de rating e os juros da dívida pública vão de mal a pior, clamam contra essas agências e esquecem-se de que disseram que lhes bastava estar no poder para elas já não classificarem tão mal Portugal.

Agora clamam contra essas agências. Mas há muito que precisávamos de outras agências sérias. Talvez clamem em breve contra a Alemanha. Mas também há muito que precisávamos que todos os grandes contratos firmados por Portugal fossem escrutinados, e os intervenientes na corrupção punidos.

Se assim for, o nosso défice comercial diminuirá muito e as agências de rating e a Alemanha terão muito menos poder nas ações que dirigem contra nós
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?