.comment-link {margin-left:.6em;}

2009-03-31

 

Freeport na tablóide TVI

A TVI passou no Jornal da noite com a máxima publicidade e escândalo, como convinha, uma gravação de uma conversa em que Charles Smith acusa José Sócrates, de “corrupto” e de ter (ele C. Smith) entregue uns milhões de euros em envelopes com 3 ou 4.000 de cada vez a “um homem” do 1º M, ao longo de 2 anos. A conversa gravada foi feita na presença de outros personagens ligados ao Freeport e perante um solicitador inglês que gravou a conversa sem o conhecimento dos presentes.
O mesmo Charles Smith veio a seguir dizer que a gravação é verdadeira mas as declarações são falsas e que foi a forma de ele justificar o desaparecimento do dinheiro.
O crédito que este Charles Smith goza já era o que agora ficou aos olhos de todos. Quando falou verdade? Na conversa gravada ou quando a desmentiu?
A peça passada pela TVI não é um mero, justificado e idóneo trabalho informativo. É o exemplo típico de uma estação de TV que se transformou no ícone nacional do tablóide .
No caso concreto a oposição ao Governo que encontra dificuldades no terreno político agradece esta transferência de arena de combate, do território da política para o campo difuso da insinuação moral. A oposição agradece… se a melhor interpretação do caso não for mesmo a de se tratar, pura e simplesmente, de mais uma peça do puzzle Freeport que renasce e se serve frio, com “fugas” do processo judicial, a compasso eleitoral.
Mas não é um dever o de um órgão de comunicação social dar a conhecer coisas como esta? Obviamente que não do modo como o fez. Se se tratasse de informação e comportamento idóneo o assunto teria sido apresentado de modo distinto e isento, ouvindo várias fontes e partes interessadas. Porque o que se passou foi o anúncio de crimes, de consequências graves para o governo do país com base não em factos mas numa montagem inconcludente, de duvidosa idoneidade, que parasita uma investigação a que o acesso ilegal é fácil e oportuno e serve claramente objectivos políticos.

A peça da TVI é tudo menos informação isenta. É a gravação de uma conversa que não tem imagens mas que para ter o impacte necessário ao fim em vista a TVI apimentou com imagens impressivas do 1ºM rindo, cumprimentando, conversando, num ambiente “Freeport”, com alguns personagens que bem poderíamos imaginar ser os Charles Smithes da escuta e os comparsas que trariam (semanalmente?) o tal envelopezinho. Com as imagens álacres e airosas em pano de fundo, a conversa em inglês e as legendas em Português que mais seria necessário para comprovar o corrupção e o envolvimento do 1ºM?
Muito mais grave que as declarações de um personagem desqualificado e pouco fiável que diz hoje uma coisa e a seguir o seu contrário me parece ser o comportamento da TVI.

É óbvio que nada se sabe, de fidedigno a respeito de qualquer eventual envolvimento de Sócrates no nebuloso caso do Freeport. Mas não é ao acusado que cabe o ónus da prova.
A Justiça se funcionar talvez consiga esclarecer o caso, e é importante que o faça, rapidamente como conviria mas o que qualquer observador percebe é que o DVD sobre o Freeport é tudo menos informação e o programa da TVI uma peça tablóide que não prima pelo são critério da isenção.

O objectivo é a audiência e o lucro a qualquer preço ou o ataque político sujo? Será um deles ou os dois? Cada um tire as suas conclusões.

Etiquetas: ,


Comments:
Absolutamente de acordo. De facto, na última sexta dei-me ao trabalho de ver o telejornal inteiro. Já tenho para uns meses. Mas um facto que reparei foi que após de quase dar como certo que Sócrates é corrupto, arguido e já mesmo culpado, não passaram a notícia sobre o que Marinho Pinto escreveu no Boletim da Ordem. Essa é também uma matéria gravíssima, que a ser verdade deve preocupar muita gente. Mas a TVI, na sexta, não passou esta notícia. Porquê? Não lhe interessa dar aos portugueses a verdade? O tal jornalismo independente só serve para algumas coisas?
 
Está na altura de um grande debate de jornalistas sobre ética e deontologia. A credibilidade da profissão. O Conselho Deontológico anda calado, o Sindicato também. Há politização nestes dois orgãos.
E das duas, uma. Ou os média assumem a sua linha política e ideológica ou acabem com a história de serem "independentes". Aliás, a TVI faz-me lembrar um tempo do Independente, semanário de Paulo Portas. Os jornalistas não podem usar a sua cadeira de pivot ou de repórteres como se estivessem sentados no parlamento, na qualidade de deputados.
CHEGOU A HORA DE CRIAR UMA ORDEM PROFISSIONAL.
Teresa
 
Havia menos provas concretas e evidências nos casos que a comunicação social denunciou e que envolviam Valentim Loureiro, Ferreira Torres, Fátima Felgueiras ou Isaltino de Morais. Nesses casos, como neste, eram apenas o testemunho de uns e a palavra de algum "arrependido". Mas nesses nunca vi ninguém indignar-se contra o tratamento do caso pela comunicação social. Antes pelo contrário...
Qual é a diferença entre este caso e os restantes? Apenas porque o nome do PM aparece, misturado com um tio que confessa ter contas secretas em off-shores e um primo fugido em parte incerta (algures pelo extremo-oriente)?

Não é possível continuar a tapar o sol com a peneira.
 
Que o telejornal da TVI é sensacionalista, tablóide,incendiário e tudo o que lhe quiserem chamar, já sabemos. Mas já ía sendo tempo de alguém falar sem medo, sem as rédeas governamentais. Não há vacas sagradas. Chega de situacionismo.
 
Acho que a análise do poste aguenta-se muito bem. Não sou adepto da maior parte das políticas do governo e não vou á bola com o género Sócrates mas já se percebeu que certa imprensa e a TVi só espalha insinuações. Factos mesmo factos nenhum. Por isso até ver não se pode acusar o Sócrates para desgosto do José Manuel e da Carla Rodrigues. Para o Sr. José Manuel é que as coisas estão claras como um Sol. Mas que sol? Sol da terra?
José Carlos
 
Não percebo como há tantos portugueses ansiosos por ter um 1º ministro corrupto só por guerrilha sectária ou por vingança (se são professores, ou juizes ou classes profissionais que passaram a ter apenas os benefícios, na saúde, reforma, etc, do resto da maralha que lhes pagava os pequenos privilégios)
Também acho que qualquer cidadão e mais ainda se for um eleito ou ministro tem de ter uma conduta limpa e no caso de indícios se deve investigar tudo e exigir a aplicação da Justiça sem contemplações. Mas se neste caso do Freeport há tantos "indícios" é porque quem quer deitar abaixo o governo tem acesso fácil ao "segredo de justiça" escolhe o que lhe convém e quer fazer justiça por suas mãos.
Agora a tabloidização da cs é evidente. Nisso estamos a aproximarmo-nos rapidamente da Europa.
Monteiro Rosas
 
Já nem sabemos em quem confiar. Agora com a crise ficámos a saber que entidades que julgávamos razoalmente confiáveis, os bancos, são muitas delas verdadeiros antros de cleptocratas.
 
Bem...perante tanta opinião é dificil abarcar tudo, mas tentemos.

Os bancos nunca foram de confiança gostaria de ver comentado apenas esta situação. "o Mourinho sim esse da bola teve a coragem de ontem depois de provocado, acho eu pois não vi, de dizer do presidente do AC MILAN que tinha as costas quentes..., e aqui ainda me chateiam com o free port então comecemos e os submarinos e o tunel do M. e as várias Camaras Municipais as melhores em qualidade de vida dos ultimos anos GAIA, OEIRAS entre outras optimos trabalhos reslizados pelos autarcas tb as com as dividas mais altas. Eu posso ser um bom autarca com o vosso dinheiro ( vosso dinheiro=dinheiro de quem paga impostos ). Mas não me parece correto.

JN
 
para a Teresa!
como sou jornalista a mim não me metem na ORDEM
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?