.comment-link {margin-left:.6em;}

2011-10-28

 

Houve perdão da dívida grega?

Falou-se e escreveu-se muito (eu escrevi...) que o perdão da dívida grega seria de 50%.

À medida que vamos dominando melhor a informação que nos chega, a realidade parece bem outra. E naquilo que resta será mesmo um perdão a sério?

Alguns dados para raciocínio.

Os empréstimos públicos recebidos pela Grécia do FMI e UE somados aos títulos do tesouro comprados pelo BCE correspondem a 30% da dívida grega. Ora, o "perdão", assim, só incide sobre os restantes 70%, ou seja, 35%, uma vez que os montantes (FMI+BCE+UE) não entram.

Segundo aspecto, estamos de facto perante um "perdão"?

O mecanismo do perdão consiste no seguinte, segundo entendi. Os bancos credores vão trocar os títulos da dívida grega que valem zero por títulos a 30 anos, cujo reembolso é garantido nessa data pelo FEEF e, durante estes 30 anos, esses bancos recebem um juro anual pelos respectivos montantes "perdoados".

Ao fim e ao cabo o perdão é pago pelo povo grego transformando-se num bom negócio.

Tanto alarido para uma solução destas da Cimeira!!.

Esta matéria merece análise aprofundada. Quem saiu beneficiado: a Grécia ou os bancos?!

Etiquetas: , ,


Comments:
O Conselho Europeu a soldo do capital financeiro.
 
Carissimo,
Fiz link deste e de outro post... e agradeço.
Um abraço.
 
Olá, Ana Paula Fitas
Muito grato.
Abraço
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?