.comment-link {margin-left:.6em;}

2011-08-22

 

A Dívida Pública da Madeira. Quem paga?

Melhor seria responsabilizar o autor do que a Região. E o principal responsável da dívida que nem se sabe bem a quanto monta é Alberto João Jardim.

Apesar de ninguém saber ao certo a quanto monta, nem o Governo Regional nem a oposição, fala-se com algum fundamento de que a dívida ascende a mais de 6000 milhões de euros.

E o problema concreto é este: quem vai pagar este montante, se a Região Autónoma da Madeira não gera riqueza suficiente para a pagar?

Só há uma saída possível, aliás, aquela que sempre houve no passado.

Mais uma vez, o Governo da República terá que assumir a dívida. Em termos concretos, é um perdão da dívida. Já imaginaram se o País dissesse aos seus credores não pagamos a dívida !!!

Apenas os cenários de intervenção do Governo da República neste perdão podem ser diferentes, porque o Dr. Jardim não tem emenda como se viu recentemente já com a Tróika cá aumentou a dívida contra o que estava acordado.

Cenários possíveis

Cenário de alguma asfixia. O Governo assume a dívida e durante um número significativo de anos (p.e.15/20) não transfere mais dinheiro para a Região. Apenas as transferências indirectas que não passam pela mão de Alberto João, que também ninguém sabe quanto é, mas, segundo alguns cálculos é superior às transferências directas. Nestas indirectas integra-se, por exemplo, o montante das reformas, subsídios para o custo da energia, etc. A Madeira teria de ser gerida com as receitas dos impostos cobrados na Região, com as transferências indirectas e com as comunitárias que não exijam contrapartidas nacionais.

Cenário Troika- A Madeira gerida por um programa da responsabilidade da Troika, específico para a Região, sem que ao governo central seja, alguma vez, imputada qualquer responsabilidade no caso de não cumprimento da Madeira. Seria um programa de emagrecimento para a Região certamente bem pior que o cenário anterior.

Qualquer um dos destes cenários é bem dramático para a população, como aliás está a ser no País. Mas a situação na Madeira é bem mais complexa. Apesar de uma região mais rica que a média nacional

Em paralelo com isto qualquer que seja o cenário adoptado, o Governo da República deveria fazer circular na comunicação social um anúncio tipo de casais desavindos e falidos: Fulano de tal deixa de reconhecer e se responsabilizar pelas dívidas contraídas pela srª fulana de tal.

Etiquetas: , , ,


Comments:
Todos os governos e ainda mais os do PS, com Sousa Franco à cabeça, apoiaram Alberto João perdoando-lhe parte da dívida. Cavaco também esteve nessa, como primeiro ministro, mas de forma mais reticente e comodida. Razões: não serem chatiados, mas chatiando o resto da população do País que paga com os seus impostos os devaneios de sustento daquele senhor no poleiro. Se lhe tivessem arriado a corda, ele já não seria o arrogante, estúpido e senhor da Madeira. Com dinheiro compra-se tudo, incluindo o zé povinho. Foi o que Alberto teve. A população da Madeira e Porto Santo só foi iludida e a grande maioria foi pensando que Alberto era o melhor. Quando não se sabe, se até a vida corre melhor!!
E como a oposição é uma merda e continua, come da mesma mesa do orçamento regional e nacional, Alberto continua o maior e será o grande vencedor das próximas.
jjalves
 
Resolvi pôr mais um comentário, pois o post merece.
Não o conheço,apenas sei quem é. Ainda há dias o vi sentado no Golden em amena cavaqueira.
Você fez um post lúcido merece, aquele poste que nenhum partido da oposição é capaz de fazer com medo de perder votos. Quando me parece que devia ser o contrário. Não ser claro e afirmativo não leva a lado nenhum. O Dr. Jardim é claro, demagogo e ninguém lhe sabe dar resposta.
jjalves
 
A dívida devia ser tema obrigatório da campanha eleitoral que se aproxima.
Andam os partidos da oposição a fazer jornadas disto e daquilo, idas a arraiais que não levam a nada e não dizem aos habitantes de Madeira e Porto Santo quais são os problemas centrais e os erros cometidos.
Temas e medidas é o que a população quer, pois começa a ter a sensação de que o regime do Dr. Jardim está sem saída.
A. Pires
 
O problema da dívida da Madeira (e dos Açores) não é aquela que nem se conhece bem devido à dimensão que ninguem consegue imaginar, mas pior é aquela que vai continuar a aumentar para sustentar tanta câmara e juntas de freguesia em que o número de eleitores se aproxima ao de eleitos.
 
Até Berta Cabral se sente envergonhada com Jardim e sendo a líder do PSD/Açores já diz que a Madeira é uma coisa e os Açores são outra e que o problema da economia da Madeira é entre a Tróika, o governo da república e o governo de Alerto João. Só Passos Coelho ainda não pode dizer isto porque há eleições em Outubro e apesar de Jardim não dar o mínimo de confiança, sempre é melhor tê-lo no poleiro.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?