.comment-link {margin-left:.6em;}

2009-03-31

 

Freeport na tablóide TVI

A TVI passou no Jornal da noite com a máxima publicidade e escândalo, como convinha, uma gravação de uma conversa em que Charles Smith acusa José Sócrates, de “corrupto” e de ter (ele C. Smith) entregue uns milhões de euros em envelopes com 3 ou 4.000 de cada vez a “um homem” do 1º M, ao longo de 2 anos. A conversa gravada foi feita na presença de outros personagens ligados ao Freeport e perante um solicitador inglês que gravou a conversa sem o conhecimento dos presentes.
O mesmo Charles Smith veio a seguir dizer que a gravação é verdadeira mas as declarações são falsas e que foi a forma de ele justificar o desaparecimento do dinheiro.
O crédito que este Charles Smith goza já era o que agora ficou aos olhos de todos. Quando falou verdade? Na conversa gravada ou quando a desmentiu?
A peça passada pela TVI não é um mero, justificado e idóneo trabalho informativo. É o exemplo típico de uma estação de TV que se transformou no ícone nacional do tablóide .
No caso concreto a oposição ao Governo que encontra dificuldades no terreno político agradece esta transferência de arena de combate, do território da política para o campo difuso da insinuação moral. A oposição agradece… se a melhor interpretação do caso não for mesmo a de se tratar, pura e simplesmente, de mais uma peça do puzzle Freeport que renasce e se serve frio, com “fugas” do processo judicial, a compasso eleitoral.
Mas não é um dever o de um órgão de comunicação social dar a conhecer coisas como esta? Obviamente que não do modo como o fez. Se se tratasse de informação e comportamento idóneo o assunto teria sido apresentado de modo distinto e isento, ouvindo várias fontes e partes interessadas. Porque o que se passou foi o anúncio de crimes, de consequências graves para o governo do país com base não em factos mas numa montagem inconcludente, de duvidosa idoneidade, que parasita uma investigação a que o acesso ilegal é fácil e oportuno e serve claramente objectivos políticos.

A peça da TVI é tudo menos informação isenta. É a gravação de uma conversa que não tem imagens mas que para ter o impacte necessário ao fim em vista a TVI apimentou com imagens impressivas do 1ºM rindo, cumprimentando, conversando, num ambiente “Freeport”, com alguns personagens que bem poderíamos imaginar ser os Charles Smithes da escuta e os comparsas que trariam (semanalmente?) o tal envelopezinho. Com as imagens álacres e airosas em pano de fundo, a conversa em inglês e as legendas em Português que mais seria necessário para comprovar o corrupção e o envolvimento do 1ºM?
Muito mais grave que as declarações de um personagem desqualificado e pouco fiável que diz hoje uma coisa e a seguir o seu contrário me parece ser o comportamento da TVI.

É óbvio que nada se sabe, de fidedigno a respeito de qualquer eventual envolvimento de Sócrates no nebuloso caso do Freeport. Mas não é ao acusado que cabe o ónus da prova.
A Justiça se funcionar talvez consiga esclarecer o caso, e é importante que o faça, rapidamente como conviria mas o que qualquer observador percebe é que o DVD sobre o Freeport é tudo menos informação e o programa da TVI uma peça tablóide que não prima pelo são critério da isenção.

O objectivo é a audiência e o lucro a qualquer preço ou o ataque político sujo? Será um deles ou os dois? Cada um tire as suas conclusões.

Etiquetas: ,


2009-03-30

 

A fuga ao fisco dos gestores em Portugal

Finanças querem fiscalizar remunerações dos gestores Tão antiga e tão conhecida é esta situação que até parece, um pouco a despropósito, vir o MF falar disso. Faça-o primeiro, ou seja, controle por amostragem com as devidas penalizações aos infractores e apresente resultados para então falar.

Etiquetas:


 

Sócrates e o caso Freeport (2)

Charles Smith disse em Londres que DVD era autêntico

2009-03-29

 

Recenseamento. Controle a situação

O sistema de recenseamento eleitoral foi alterado.

Durante o mês de Março, pode ver se está recenseado.

Se tiver amigos/familiares que completem os 18 anos, eles são recenseados automaticamente na Freguesia de Residência, (mas não lhes é comunicado o nº de Eleitor).

Para controlar pode aceder:

http://www.recenseamento.mai.gov.pt/

Tomei conhecimento por email amigo, mas já testei.
 

Uma forma de ver a crise

Documento longo: 20 minutos se o quiser ver todo http://video.google.com/videoplay?docid=-3412294239230716755

 

Sobre o papel do Banco de Portugal

Interessante esta opinião sobre o Banco de Portugal, em que se alerta para o desvirtuamento das funções do Banco por troca de um grande núcleo de investigadores que passa ao lado delas no seu trabalho quotidiano: A melhor maneira de roubar um banco é geri-lo.

2009-03-28

 

Portugal-Suécia

Vi o jogo quase todo na TV, pelo contrário nada vi sobre o dia do planeta.

Até gostei de Portugal, embora se os suecos tivessem o pé mais certeiro, Portugal poderia ter perdido por uns quantos. Jogamos mais, é verdade, embora com muitos rodriguinhos. Faltou-nos, falta-nos sempre eficácia.

Quando lá chegarmos, .. se isso vier a acontecer alguma vez, passaremos a ser, de longe, "os melhores" deste mundo e quem sabe também "do outro".
Será difícil, mas ...

Por isso, já desculpei o Carlos Queiroz. Ele fez o que pode e sabe. A selecção é que continua numa boa. Mal enquadrada.



 

O Portugal-Suécia e a Hora do Planeta

Coincidência interessante.

A Hora do Planeta que consiste num "apagão" hoje entre as 20H30 e as 21H30 para mostrar aos líderes mundiais que o tema das alterações climáticas preocupa as pessoas coincide com o desenrolar do jogo Portugal-Suécia, fundamental para o apuramento da selecção para o mundial de 2010.

Li algures como uma das sugestões para essa hora de "apagão" um jantar de velas, muito romântico. Não sei se Carlos Queiroz não poderá usar essa táctica com os jogadores suecos, pois deste modo o papel da nossa selecção estaria mais facilitado. Mas, atenção, os suecos são mais experientes no lusco-fusco.

 

Sócrates e o caso Freeport

José Sócrates vai processar Charles Smith por causa do DVD gravado pelo Freeport, de que se falava há vários dias, em que este acusa Sócrates de ser "corrupto".

José Sócrates saiu com um comunicado após a divulgação do filme onde num dos pontos afirma e passo a citar: "Dei já orientação ao meu advogado para agir judicialmente contra os autores desta difamação".

Contra a TVI que passou o filme está a ser ponderado se o processo avança ou não.

Não me parece, porém, que as duas situações possam ser postas ao mesmo nível, porque o primeiro cai no âmbito da difamação e o segundo tem a ver com o direito/liberdade de infomação, matéria de natureza bem diversa.


 

Papa Bento XVI contestado na igreja portuguesa

Já não são apenas os leigos católicos e alguns padres que, de uma forma geral, não ficaram agradados com a posição do Papa sobre o preservativo, ou melhor, com as palavras sobre o preservativo, porque sobre o uso já se conhecia a doutrina oficial, mas sobre o que veio acrescentar e aí , bem melhor seria se as não tivesse proferido, pois tem conhecimentos científicos suficientes para não as dizer.

Alguns bispos portugueses, felizmente, também não estão com Bento XVI sobre esta matéria, certamente por viverem e observarem com outros olhos a vida das pessoas. Bispo a favor do preservativo para doentes com sida


2009-03-27

 

Um blog da India - AyyapaExpress


Recomenda-se http://ayapaexpress.blogspot.com/



Reflexões de um ocidental à ilharga do Mar Arábico

Etiquetas:


 

O primeiro calmante de Isaltino

Esta noite não durmo. Vou ter insónias. Li todas as notícias sobre o julgamento do presidente da Câmara de Oeiras - por cansaço deixei de lado as referentes ao ex-autarca de Marco de Canaveses - e concluí que vou ter problemas de sono.

Se durante toda a minha vida profissional nunca fugi ao fisco, nem tive 400 mil euros em numerário de sobras de algo que não era meu (nem meu, nem dos outros); se nunca questionei a hipótese de poder prejudicar o Estado - nunca me passou pela cabeça tal coisa.. agora apetece "passar-me" - simplesmente há deveres que se cumprem para, depois, poder gritar pelos meus direitos; se para mim Cabo Verde é "morna", areia e calor, ilhas, arquipélagos, poetas da "Claridade", pobreza, dificuldades e gente boa, e não ofertas de terrenos a autarcas "geminados"; se o meu carro nunca serviu governo nenhum; se nunca "dissimulei quantias" auferidas por alegados favores de promotores imobiliários, etc, etc....que raio!...
Como é que eu consegui dormir descansada durante tantos anos?
O dr. Isaltino diz que só agora tomou um calmante. Boa. Para quê? Para dormir ou ficar acordado? Está a gozar com a malta, só pode.

"Em matéria fiscal não sou um bom cidadão», disse. Mas eu sou. E não cito mais frase nenhuma para não me irritar mais. Mas vamos lá esclarecer uma coisa. No meio de tudo isto, quem é que tem direito à soneca de anjo?

Obviamente que o dr. Isaltino e sr Avelino Ferreira Torres porque, a mim, esta história dá insónias.

Espero que o calmante tenha receita médica. Não há calmantes de venda livre. Só chás, como o de valeriana, o chá dos gatos, recomendado devido à ausência de efeitos secundários hipnóticos graves.

Etiquetas:


 

Jorge Miranda... Um nome imbatível para Provedor de Justiça

Um nome rejeitado. Certamente há a registar muitas gafes de processo.

Mas nada disto se pode levar a sério. Com gafes ou sem elas tudo iria dar ao mesmo.

E, afinal, que benefícios traz a este país haver ou não um Provedor de Justiça?

Opiniões, alguma burocracia, alguma pressão, mas de efeitos simbólicos.

Donde este jogo político faz pouco sentido. nada de fundamental está em disputa.

Há que rever a Constituição, atribuir outras funções ao Provedor e também novos métodos de escolha do mesmo. Um Simplx em tudo isto.

Para quê tanta complexidade? É mesmo querer atiçar a lenha do jogo político.


2009-03-26

 

Siza Vieira entrou para o INDEX de Miguel Sousa Tavares

Então não é que Siza Vieira veio contrariar Miguel Sousa Tavares no caso dos contentores de Alcântara?

E com o argumento banal de que havendo cidades, necessariamente algumas coisas "tapam" outras.

Que argumento simples e pensando bem parece mesmo e ou não se faz nada ou então algumas vezes tem mesmo de se tapar. E para esta posição, certamente será dificil jogar no desempate, aplicando aquela máxima do Professor, de alguns temos a esta parte sempre na ponta da língua: análise dos custos/beneficios.

Mas deixemo-nos desta filosofia barata. Não sei a quem dar razão neste caso e também desconheço como corre o movimento de Sousa Tavares.

Mas de arquitectos famosos e das suas obras nunca me posso esquecer de quando, pela primeira vez, visitei Brasília, o grande mito de Nimeyer. Tive um grande choque pois nada naquela cidade, para mim, parecia funcional.

 

SÁBADO - FECHE A LUZ ÀS 20H30 - É A HORA DO PLANETA


Earth Hour - Hora do Planeta - é uma campanha de sensibilização ambiental que pretende que o máximo número de casas/cidades fique às escuras durante 60 minutos.

Está previsto que mais de 1/6 da população mundial adira a esta iniciativa no próximo SÁBADO - 28 de Março às 20.30.

Em Portugal o Cristo Rei, a Ponte 25 de Abril e outros monumentos nacionais vão ficar às escuras bem como algumas cidades.

Pelo menos uma vez na vida, independentemente da questão ambiental - a zona iluminada do globo há-de ficar negra. Ou seja, por instantes, haverá solidariedade para com os povos que vivem na zona escura. As fotografias de satélite esclarecem o significado de um planeta dividido entre a luz e a sombra.
Dirão que é demagogia. Acho que não. É uma forma de sensibilizar as pessoas para o consumo energético e para as nossas vítimas, como o continente africano que está fora da zona iluminada do globo.

Etiquetas: ,


 

Uma Imagem (muita realista) do País

Como "caçar" subsídios financeiros? Podia ser um excelente e rigoroso título para muitas coisas que se passam neste país cujo desempenho deveria ser medido pela "caça eficaz ao subsídio".

Vem isto a propósito do que se passa nos bombeiros voluntários em que metade não apaga fogos, mas constam dos ficheiros para fazer entrar nas associações de bombeiros mais subsídios de entidades públicas.

Mas isto parece não acontecer só com os bombeiros voluntários. Aconte um pouco por toda a parte. Já ouvi dizer isto de escolas superiores. E não se esqueçam das anedotas ou não que se contavam sobre os subsídios comunitários ao gado em que se dizia que o mesmo, depois de transferido pela noite, era sempre o mesmo a ser contado em várias herdades.

Somos mesmo assim onde tudo é admissível às claras, onde os valores são atirados para o cesto dos papéis e depois vêm-nos falar de poupança e de baixa de ordenados para fazer face à crise ...

2009-03-25

 

A Comissão Europeia combate a escravatura moderna e a exploração sexual de crianças


Segundo a Organização Internacional do Trabalho, há no mundo 1,225 milhões de pessoas submetidas ao tráfico, seja internacional ou dentro dos respectivos países. A maior parte destas vítimas de tráfico são exploradas para a prostituição (43%) ou para fins laborais (32%). A exploração sexual forçada para fins comerciais atinge, na esmagadora maioria (98%), mulheres e raparigas. Os números disponíveis permitem estimar com elevada probabilidade que todos os anos várias centenas de milhares de pessoas são alvo de tráfico para a UE ou dentro dela.
Há estudos que sugerem que uma minoria significativa de crianças na Europa, entre 10% e 20% segundo um especialista nesta matéria, pode ser alvo de violência sexual durante a infância.
Em 2008 foram encontrados mais de 1 000 sítios web comerciais e cerca de 500 não comerciais com conteúdos ligados ao abuso sexual de crianças, 71% dos quais nos EUA. Estima-se que cerca de 20% dos sítios web de pornografia infantil não são comerciais (são sobretudo entre particulares – peer to peer).
Estima-se que cerca de 20% dos autores de crimes sexuais, em média (com grandes diferenças entre perfis de criminosos), voltam a cometer novos crimes depois de cumprida a sentença.

As novas propostas
As duas propostas de decisões-quadro do Conselho obrigarão os países da UE a agir em três frentes: repressão dos criminosos, protecção das vítimas e prevenção do crime.
A proposta de luta contra o tráfico de seres humanos aproxima as legislações e as penas nacionais, garantindo o julgamento dos criminosos mesmo quando cometem os crimes no estrangeiro. Admite que a polícia recorra a escutas telefónicas e outros tipos de escuta e a outros instrumentos semelhantes utilizados na luta contra o crime organizado. As vítimas terão alojamento e assistência médica e, se necessário, protecção policial para poderem recuperar do traumatismo e não temerem testemunhar contra os seus agressores. Ser-lhes-ão poupados traumatismos adicionais durante o processo penal, decorrentes nomeadamente de perguntas relacionadas com a experiência da sua exploração sexual forçada. As vítimas terão apoio jurídico gratuito durante o processo, incluindo para apresentar pedidos de indemnização. A proposta incentiva sanções contra os clientes de pessoas forçadas a oferecer serviços sexuais e contra os empregadores que exploram pessoas objecto de tráfico. A proposta cria ainda organismos independentes para controlar a aplicação dessas acções.
A proposta de luta contra o abuso e a exploração sexual de crianças torna mais fácil punir os autores de crimes sexuais contra crianças ao prever penas para novas formas de abuso, como o aliciamento (grooming) – aliciar crianças através da Internet e abusar delas, ver pornografia infantil sem descarregar os ficheiros ou obrigar crianças a adoptar poses sexuais em frente de webcams. Os «turistas sexuais» que se desloquem ao estrangeiro para abusar de crianças serão julgados quando regressarem a casa. As crianças vítimas destes crimes poderão depor sem ter de enfrentar o agressor em tribunal, evitando-lhes assim um trauma adicional, e poderão contar com a assistência gratuita de um advogado. Cada arguido será avaliado individualmente e terá acesso a programas de tratamento adaptados ao seu caso, para evitar a reincidência. A proibição de exercerem actividades que impliquem o contacto com crianças, imposta aos arguidos, deve ser aplicável não só no país em que foram condenados, mas em toda a UE. Serão desenvolvidos sistemas de bloqueamento do acesso a sítios web que contenham pornografia infantil.
As propostas serão debatidas no Conselho de Ministros de UE e, depois de aprovadas, serão transpostas para as legislações nacionais.
O Vice-Presidente Barrot concluiu: «A nossa mensagem é clara. Estes crimes que não conhecem fronteiras são inaceitáveis. A Europa continuará a fixar os padrões mais elevados e mais ambiciosos para os combater.»
Fonte: http://ec.europa.eu/portugal/index_pt.htm

Etiquetas: ,


 

60 anos da NATO

Por altura da Cimeira dos 50 anos da NATO, em 1999, Washington, o desenvolvimento de uma identidade de segurança e defesa europeia era consensualmente aceite como devendo processar-se dentro do âmbito da NATO. Se este modelo de coordenação é para deixar cair, dado o aparecimento de uma nova base consensual que fala da complementaridade entre as duas organizações, talvez mesmo uma divisão de trabalho estratégico, então qualquer sistema de coordenação substituto terá que aparecer em seu lugar.

Texto completo: «A Cimeira dos 60 anos da NATO e a União Europeia» (ARR).

www.jornaldefesa.com.pt/

Etiquetas: ,


 

Fogos políticos

Os bombeiros vieram alertar que, em 2009, por ser ano de eleições certamente haverá mais fogos.

Ninguém é ingénuo e, de facto, olhando para trás, isso pode acontecer ou dito com mais rigor, esta situação está provada.

Os bombeiros, por conseguinte, só vieram falar de algo constatado.

E então a pergunta é: Quem são "os interessados" nos fogos políticos?

Não "quebrando" muito a cabeça, pelo menos percebe-se quem não esteja nada mesmo interessado nos fogos: o Governo, que quer tenha muita ou pouca culpa será sempre culpado.

E como aqui já dissemos a pólvora é muita como dizem os bombeiros.


 

A sex shop "Paraíso Erótico" de Santarém ...

... Fechado pela ASAE. Uma grande maldade!!

Não se sabe quem terá posto a ASAE no encalço do "Paraiso Erótico". O Pe Borges (lá do sítio) e a sua diocese não fizeram queixa, pelo menos, é o que se lê na comunicação social.

Mas a ASAE lá foi e o como a sex shop funcionava a menos de 300 metros do cemitério de Santarém não podia porque os habitantes da zona ainda podiam ter alguma recaida.

Talvez tenha sido uma boa medida pois a casa em si já teve muitas peripécias económicas e convenhamos junto de um cemitério certamente o mercado não será o melhor.


2009-03-24

 

Recomendações PE: reforma da política de coesão

24/03/09 – O Parlamento Europeu aprovou hoje vários relatórios sobre a política de coesão e os fundos estruturais. Os eurodeputados solicitam à Comissão Europeia que assegure mais adiantamentos aos beneficiários e facilite o acesso aos fundos através de uma cooperação mais estreita com os governos nacionais, a fim de reduzir o tempo de tratamento dos processos.
O PE apela também à criação de um sistema mais abrangente de apoio transitório gradual às regiões que dentro em breve estarão acima do limiar de 75% do PIB, conferindo-lhes um "estatuto mais claro e mais segurança para o seu desenvolvimento".

O Parlamento Europeu rejeita "qualquer tentativa de renacionalização" e defende o "empenhamento numa política comunitária única", flexível e capaz de se adaptar à escala de intervenção mais adequada e de responder a desafios comuns como a globalização, as alterações climáticas, as mudanças demográficas (como o envelhecimento, os fluxos migratórios e o despovoamento), a pobreza e o aprovisionamento energético.

"A política de coesão da UE deve abranger todas as regiões da UE, incluindo as que apresentam características geográficas especiais, e deve constituir uma mais-valia para todos os cidadãos", sublinha o relatório de Lambert van NISTELROOIJ (PPE/DE, NL).

Segundo os eurodeputados, a coesão territorial constitui um "pilar fundamental" para a consecução dos objectivos da política de coesão da UE, reforçando a coesão tanto económica como social. Contribui também para eliminar as "desigualdades de desenvolvimento entre e dentro de Estados-Membros e regiões".

O PE considera, no entanto, que o Livro Verde da Comissão sobre a Coesão Territorial Europeia "não é suficientemente ambicioso, na medida em que não propõe uma definição nem um objectivo claros para a coesão territorial e não aumenta significativamente a compreensão deste novo conceito, de modo a contribuir de forma eficaz para atenuar as desigualdades entre regiões". Lamenta, além disso, que o Livro Verde "não explique como é que a coesão territorial será integrada no quadro actual da política de coesão" e com que instrumentos metodológicos ou meios deixará de ser um quadro de princípios para se converter nos mecanismos operacionais a aplicar no terreno no próximo período de programação.

Os três conceitos-chave que devem estar no cerne do desenvolvimento da coesão territorial são "concentração, interligação e cooperação".

Estes conceitos podem, segundo os deputados, contribuir para superar os efeitos negativos associados à concentração da actividade económica, "em particular em certas capitais de Estados e regiões", as desigualdades em termos de acesso aos mercados e serviços resultantes da distância ou da concentração, a falta de infra-estruturas e as divisões impostas pelas fronteiras não apenas entre os Estados-Membros, mas também entre as regiões.

As três vertentes da coesão – económica, social e territorial – devem ser complementares e reforçar-se mutuamente, mantendo, todavia, a "missão específica de cada uma num conceito integrado único". Estes objectivos "não devem ser hierarquizados nem objecto de negociação", conclui o PE.

O Parlamento sublinha a importância dos serviços públicos para o desenvolvimento económico e social sustentável, bem como a necessidade de um acesso equitativo, do ponto de vista social e regional, aos serviços de interesse geral, em particular aos serviços de educação e de saúde.

Para assegurar um acesso equitativo é necessário ter em conta não apenas a distância geográfica, mas também a "disponibilidade e a acessibilidade desses serviços", frisa o relatório. Os eurodeputados consideram que deve ser incluída no debate sobre a coesão territorial uma reflexão sobre o acesso equitativo dos cidadãos aos serviços.

Entre as recomendações feitas à Comissão Europeia no relatório de Constanze Angela KREHL (PSE, DE), encontram-se a definição de critérios de avaliação de longo prazo para projectos co-financiados através dos fundos estruturais da UE, a elaboração de medidas políticas especiais e novos indicadores qualitativos para regiões com características geográficas específicas, como é o caso das regiões pouco povoadas, regiões ultraperiféricas e regiões insulares, a concessão de mais adiantamentos aos beneficiários, uma cooperação mais estreita com os governos nacionais, a fim de reduzir o tempo de tratamento dos processos, o alivio do ónus administrativo e a preparação de um calendário de "diligências activas" destinadas a eliminar obstáculos e a melhorar a acessibilidade aos fundos.

O relatório sobre a dimensão urbana da política de coesão no novo período de programação, de Oldřich VLASÁK (PPE/DE, CZ), propõe que seja fixado um "nível mínimo" de despesas dos fundos estruturais, que deve ser fixado "por habitante de uma zona urbana e por período de programação".

O PE insiste em que "os Estados­Membros têm a possibilidade de delegar nas cidades a gestão dos fundos estruturais europeus destinados a acções orientadas para a obtenção de um desenvolvimento urbano sustentável". Segundo o PE, a subdelegação oferece um duplo valor acrescentado: "por um lado, seria muito mais eficaz para o crescimento regional e europeu que as cidades assumissem a responsabilidade desde o planeamento até ao arranque da acção pertinente, respondendo simultaneamente aos desafios estritamente locais e, por outro lado, constituiria um instrumento essencial para a melhoria da capacidade administrativa de gestão local".

O relatório deplora, contudo, o facto de a possibilidade de recurso à subdelegação, eventualmente por meio da concessão de subvenções globais às autoridades municipais no âmbito dos programas operacionais financiados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), não ter sido plenamente utilizada até agora.

"A dimensão urbana e a subdelegação na política regional deveriam ser obrigatórias", conclui o PE, acrescentando, no entanto, que "a transferência de competências não deve levar à fragmentação da política regional".

O relatório de Wojciech ROSZKOWSKI (UEN, PL) salienta que a abordagem que consiste em separar o desenvolvimento rural da política de coesão com a criação do Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER) "deve ser seguida atentamente, a fim de avaliar o seu verdadeiro impacto no desenvolvimento das zonas rurais". O novo sistema foi criado em 2007 e, portanto, "ainda é muito cedo" para tirar quaisquer conclusões no que diz respeito ao futuro desta política comunitária.

A eficiência da política de desenvolvimento rural só pode ser alcançada se as medidas aplicadas a título do FEADER e a política de desenvolvimento regional forem coordenadas e complementares de modo a "evitar duplos financiamentos e omissões".

A reforma pós-2013 da PAC e dos fundos estruturais da UE será uma oportunidade para "reavaliar a relação entre desenvolvimento rural, por um lado, e política agrícola e política de coesão, por outro".

O PE "aprecia os esforços" desenvolvidos pelas autoridades nacionais para que a afectação média de dotações necessárias à concretização da agenda de Lisboa represente 65% dos fundos disponíveis nas regiões do Objectivo "Convergência" e 82% nas regiões do Objectivo "Competitividade Regional e Emprego", o que "representa, na verdade, mais do que foi inicialmente exigido".

É, no entanto, "necessário um investimento muito superior nesta área", segundo o relatório de Miroslav MIKOLÁŠIK (PPE/DE, SK). À luz da revisão intercalar da aplicação dos fundos estruturais, é preciso adoptar directrizes comunitárias mais rigorosas, conceder recursos financeiros acrescidos à consecução destes objectivos e consagrar pelo menos 5% dos fundos estruturais à melhoria da eficiência energética das habitações existentes.

Os eurodeputados sublinham o papel primordial e o potencial de desenvolvimento que representam as energias renováveis para as regiões da UE, tanto para a criação de empregos, como para promover o desenvolvimento local sustentável.

Etiquetas:


 

Ainda sobre os incêndios

Fogo no Parque da Peneda-Gerês com a notícia de que, nos últimos dois dias apenas, já ardeu o dobro de hectares do que se verificou durante o ano de 2008.

É muito grave diria, numa dupla perspectiva. Pela situação em si, área ardida, mas ainda e não sei o que é mais grave, por ser um parque gerido por entidades públicas.

Posso estar a ser muito injusto, mas com muito mais gente a pensar o mesmo. Há a sensação de desleixo na prevenção. O Parque tem meios humanos e equipamentos, tem tido financiamento até de apoios comunitários e dificilmente se entende esta situação, mesmo que houvesse fogo posto como admitiu o secretário-geral da Protecção Civil, José Miguel Medeiros.

Um inquérito rigoroso impunha-se para se perceber como tudo isto pode acontecer e ainda apurar responsabilidade. Este inquérito é ao nível do desempenho. Não se confunda com o de Polícia sobre fogo posto.


2009-03-23

 

Especulação sobre o nome do Provedor de Justiça


Não sei porquê - talvez seja o tal sexto/sétimo/oitavo sentido feminino - mas acho que o problema da nomeação do novo Provedor de Justiça e da guerra entre o PS e PSD tem uma história.

Se não tem deveria ter. E esta que eu "inventei" é divertida.

Imagine-se que o PSD tinha na manga o nome de Jorge Miranda para cabeça de lista às europeias para contrapôr ao constitucionalista Vital Moreira, grande surpresa lançada pelo PS no último Congresso. Só que....

Era uma vez em Portugal, as bruxas reuniram-se e uma delas - a mais distraída - deixou a vassoura voar sozinha.
A vassoura, tal como nas histórias infantis, falava. A vozinha de vassoura soprou aos ouvidos dos socialistas a novidade. O PS, mais célere, devido às maratonas de José Sócrates, resolve adiantar-se e convidar o professor doutor Jorge Miranda, ilustre constitucionalista, para o cargo que Nascimento Rodrigues já não aguenta.


Moral da estória: Quem se mete com bruxas acabado embruxado.

É óbvio que isto tudo é ficção mas...até poderia não ser.

Etiquetas: , ,


 

FREEPORT

Era um repisar da situação. Finalmente, fundamentados ou não, temos novos dados, com um novo Ministro de Guterres pelo meio. Torna-se bem mais aliciante. Advogados ofereceram aprovação em 90 dias. A ver vamos ... Mas o Freeport parece que veio para ficar por uns tempos largos.

 

Um "amor" menos atrevido

Jaime Gama andou/anda (neste momento é mais precisa esta forma de conjugação verbal) pela Madeira em visita oficial.

Dos jornais nacionais e locais colhemos a sensação de que nos encontros Jaime Gama-Jardim as manifestações foram bem menos efusivas que da última vez.

Será que algumas dicas do PS/Madeira surtiram efeito? Ou, antes, a aproximação do período eleitoral leva a maior contenção verbal dos dois lados? Apesar de tudo há que marcar terreno. ...

Etiquetas: ,


 

Eis de volta os incêndios

Parece haver aqui qualquer coisa de novo que volta a falhar.

Depois de uns anos "bons" ou anos "menos maus", neste domínio, eis que de novo com um pouco de sol os incêndios voltam a disparar.

Nestas coisas fico sempre com a sensação que algo foi descurado, faltando aquele trabalho de prevenção essencial, a nível de autarquias, particulares e governo para que os incêndios sejam muito mais reduzidos.

Passou-se um ano e, de facto, nada ouvimos na comunicação social de que algo estivesse na calha.

Em Portugal, infelizmente, quando algo está a correr melhor há uma tendência para o descanso, para não lhe chamar desleixo, para o deixar andar.

Não será que, com responsabilidades a todos os níveis, se está numa fase destas?

Etiquetas:


 

OBAMA soma e segue (2)

Já foi há dias mas o que é bom é para registar:
Barack Obama considera indigno o pagamento de prémios a quem deixou a seguradora (AIG) à beira da falência.
Depois de tomar conhecimento que a seguradora AIG está a preparar o pagamento de 165 milhões de dólares aos administradores que quase arrasaram a empresa, Barack Obama deixou a garantia de que tudo fará para travar esses prémios.
"Pedi ao secretário Geithner para perseguir todos os modos legais para bloquear esses bônus", diz a declaração. "Não é apenas uma questão de dólares e centavos. É sobre nossos valores fundamentais", disse o presidente norte-americano. "Em todo o país há pessoas que trabalham duro e cumprem suas responsabilidades todos os dias, sem o benefício de pacotes de socorro do governo ou bônus multimilionários. E todas as pessoas querem que todos, na economia real, no mercado financeiro e em Washington, joguem sob as mesmas regras".
Afirmou também que é urgente proceder à reforma exaustiva do sistema regulador financeiro.
_______________
À atenção de José Sócrates e Teixeira dos Santos.

2009-03-22

 

Senhor Ministro das Finanças, assim não!

O Ministério da Finanças emitiu, recentemente, um comunicado informando o povo português da autorização extraordinária dada à região autónoma da Madeira para o recurso a um empréstimo de 50 milhões de euros destinado a investimentos (projectos co-financiados pela UE). Comunicado oficial, timbrado, assinado, datado. Tudo certo.

Só que esta decisão (autorização para contrair crédito de 50 milhões) abrangeu, também, a região autónoma dos Açores. Aliás, segundo a notícia de hoje do DN, o governo açoriano nem sequer precisava mas aproveitou. OK. Mas há um pormenor.

Por que razão o dr. Teixeira dos Santos omitiu no comunicado enviado às Redacções, que os Açores também estavam abrangidos pela mesma medida? Haverá alguma razão especial?
Espero, sinceramente, que tenha sido um descuido. Caso contrário, é grave. Muito grave.

Etiquetas: , ,


 

O final da Taça foi divertido

Houve prendas para todos. O Quique Flores safa a época sem esperar. O Lucílio Baptista leva um grande oferta de Pedro Silva "uma peitada", fica um tanto quanto zonzo. O Paulo Bento lá teve matéria para se espraiar e desta vez com toda a razão. O Pedro Silva treina tiro ao alvo com a medalha.

Ficamos sem saber apenas o papel da Liga. Que ofertas distribuirá a Lucílio Baptisata e a Pedro Silva. Sim, apesar do triste espectáculo, os dois bem mereciam prenda e pesada.

É este o nosso futebol e parabéns ao Benfica.

2009-03-21

 

A navegar descobre-se muita coisa...

Por exemplo, Portugal: http://www.alovelyworld.com/index2.html Email recebido de um amigo.
 

Sines vai ter Primeiro Juízo Social do País


Sines vai contar com o primeiro juízo social do país que, no âmbito do novo Mapa Judiciário, será integrado na futura comarca experimental do Alentejo Litoral e reunirá serviços da Justiça na área da Família, Menores e Trabalho.
Fonte: Portais do Cidadão e da Empresa com Portal da Justiça

Nota: seria também ajuizado, devido à dimensão que se antevê para o Litoral Alentejano em termos de desenvolvimento turístico, pensar em termos de Justiça outros aspectos que tenham também a ver com esta dimensão económica.


2009-03-20

 

Afinal... talvez tenha utilidade


Desprevenido, abri a TVI. Estava lá a mulher do director.
Francamente... não havia necessidade. Aqui fica a sugestão.

Etiquetas:


 

FORMATO PSD

Foi preciso o Presidente da República puxar as orelhas ao bloco central (PS/PSD) para fazer-se luz ao fim de 8 meses. Mesmo assim é nascimento prematuro mas uma incubadora resolve. Isto anda tudo marado do juízo. O povo, qualquer dia, pede calma a estes senhores e senhoras. Não há quem os aguente. Por mim, haver ou não Provedor de Justiça é igual ao litro. As suas deliberações não são vinculativas. É assim uma espécie de acordão do Tribunal de Contas. Papel, papel para rascunho. Mas, sinceramente, não sei quem dá conselhos à Dra. Manuela Ferreira Leite mas...não deve ser grande coisa.
Não se percebe as declarações de hoje à tarde da lider do PSD sobre a substituição do Provedor de Justiça. Dizer que o PS quer impôr um nome para o cargo dando a entender que o mesmo sairia das fileiras do socialismo democrático, ou seja, "feito" com o governo, e horas depois, em conferência de Imprensa, Alberto Martins garantir que o escolhido chama-se Jorge Miranda, que aceitou o convite, e que a Dra Ferreira Leite fora informada recentemente... quase não respiro. Dá vontade de rir. Ou chorar. Já não sei. Pior é encolher os ombros. Eu ainda não cheguei a essa fase. E espero nunca chegar, portanto, acho bem que PS quebre o lobby rosa/laranja (que não faz sentido) e coloque a escolha do sucessor de Nascimento Rodrigues à apreciação de todos os partidos com representação parlamentar.


ESCLARECIMENTO: Formato PSD (Photoshop)
O formato PSD (Photoshop) é o formato de arquivo padrão e o único, além do PSB (Formato de Documento Grande), com suporte para a maioria dos recursos do Photoshop. Devido à estreita integração entre os produtos da Adobe, como o Adobe Illustrator, o Adobe InDesign, o Adobe Premiere, o Adobe After Effects e o Adobe GoLive, podem importar arquivos PSD directamente e preservar vários recursos do Photoshop. Para obter mais informações, consulte a Ajuda (Help) referente a cada um desses aplicativos da Adobe.
Ao salvar um arquivo PSD, é possível definir uma preferência para maximizar a compatibilidade desse arquivo. Isso salva uma versão composta de uma imagem em camadas no arquivo, permitindo que seja lido por outras aplicações (inclusive por versões anteriores do Photoshop), além de preservar posteriormente a aparência de camadas mescladas.

Imagens de 16 bits por canal e de 32 bits por canal com intervalo dinâmico completo podem ser salvas como arquivos PSD.

ESCLARECIDOS?

Etiquetas: , , ,


 

José Mourinho-Doutoramento honoris causa

A "grande" polémica (falta de visão) acerca desta iniciativa da Universidade Técnica de Lisboa (UTL), via Motricidade Humana, consiste em que alguns Profs não simpatizam com José Mourinho. Estamos entendidos, também não, mas reconheço-lhe o valor.

Então, porque não simpatizam, não conseguem separar as águas. Recorrem a argumentos da tropa: a antiguidade é um posto. E então lá aparecem Carlos Queiroz, Jesualdo Ferreira, etc.. Certamente, têm o seu valor. Mas falta-lhes os resultados de Mourinho e o reconhecimento internacional de grandes treinadores. Mourinho tem isso tudo. E já provou que sabe de futebol e de algo mais, tem qualidades que mobiliza os jogadores. Sabe conduzir homens. Exactamente aqui está a diferença e o fundo da questão. A Motricidade Humana não ensina isso.

O fechamento de certas mentes universitárias nacionais só alimenta visões distorcidas.

2009-03-19

 

Ainda a AIG

Esta semana a AIG volta a ser notícia nos Estados Unidos. Após várias recapitalizações que representam 170 mil milhões de dólares de dinheiro do estado soube-se que uma parte desse dinheiro foi parar a grandes bancos europeus. À primeira vista a história parece escandalosa como é possível que o dinheiro dos contribuintes americanos acabe nos bolsos dos bancos europeus.

Quando se tenta compreender mais em detalhe o que se passou compreende-se que, na verdade, a AIG não tinha muita escolha. Mais uma vez os swaps de crédito estão na origem desta confusão. A AIG emitiu um enorme volume desses contratos que a expõe a um risco demasiado importante, o melhor que pode fazer na actual situação é comprar os contratos que ela mesma emitiu para anular esse risco, acontece que grande parte desses contratos estão nas mãos de bancos europeus (Calyon, Société Générale, Deuutch Bank, etc).
 

Jaime Gama de visita à Madeira

O Presidente da Assembleia da República, Dr. Jaime Gama, tem programada uma visita de três dias à Madeira que se inicia no sábado, com um jantar oficial oferecido por Alberto João Jardim.

O PS/Regional, desagradado com as atitudes e comportamento do Dr. Jaime Gama, na sua última estada no Funchal, decidiu não lhe fazer uma boa recepção, o que, certamente, será compensada pelo esmero receptivo pelo lado do Governo regional e do PSD madeirense.

Sobre isto Deputados do PS censuram Jaime Gama

2009-03-18

 

A mentalidade dos crocodilos

Último grito. Há crocodilos no rio Douro!! Uma "brincadeira" eventualmente com alguma graça, mas pouco apropriada.

Com um forte desejo de nâo, espero muito a sério, que a mentalidade do crocodilo não esteja de regresso à nossa área de negócios, pois se assim sucedesse muito mal andaria este país. Um recuo de uns bons anos.

Essa fase da "mentalidade" dos crocodilos (a venda de gato por lebre) que agora "pode voltar", de algum modo, retratada na "graça" no Douro, estava a esvair-se dos mercados onde os produtos portugueses estavam a singrar.

Em tempos de crise há que ter muita criatividade no mundo dos negócios, mas redobrada em seriedade.


 

Aluguer de contadores de água, luz e gás acaba no próximo mês de Maio

Texto de E- mail recebido de pessoa

Os consumidores vão deixar de pagar os alugueres de contadores de água, luz ou gás, a partir de 26 de Maio próximo.

Nesta data, entra também em vigor a proibição de cobrança bimestral ou trimestral destes serviços, segundo um diploma, ontem publicado na edição do Diário da República.

A factura de todos aqueles serviços públicos vai ser obrigatoriamente enviada mensalmente, evitando o acumular de dois ou três meses de facturação, indica a Lei 12/2008, ontem publicada no boletim oficial e que altera um diploma de 1996 sobre os serviços públicos essenciais.

A nova legislação passa a considerar o telefone fixo também como um serviço essencial e inclui igualmente nesta figura as comunicações móveis e via Internet, além do gás natural, serviços postais, gestão do lixo doméstico e recolha e tratamento dos esgotos.

O diploma põe fim à cobrança pelo aluguer dos contadores feita pelas empresas que fazem o abastecimento de água, gás e electricidade.Também o prazo para a suspensão do fornecimento destes serviços, por falta de pagamento, passa a ser de dez dias após esse incumprimento , mais dois dias do que estava previsto no actual regime.

Outra mudança importante é o facto de o diploma abranger igualmente os prestadores privados daqueles serviços, classificando-os como serviço público, independentemente da natureza jurídica da entidade que o presta. Numa reacção à publicação do diploma em causa, "a Deco congratula-se com estas alterações, há muito reivindicadas", afirmou à Lusa Luís Pisco, jurista da associação de defesa do consumidor.

O diploma ontem publicado, para entrar em vigor a 26 de Maio, proíbe também a cobrança aos utentes de qualquer valor pela amortização ou inspecção periódica dos contadores, ou de "qualquer outra taxa de efeito equivalente".

Divulgar o mais possível...

2009-03-17

 

O Mau uso das Religiões

As versões mais absurdas de algumas religiões. Ou a instrumentalização do sentimento religioso para as práticas mais absurdas e "criminosas".
Dois exemplos:

Na religião de cá:

O Papa foi a África. Uma visita aos Camarões e a Angola. Proclamou: "A solução para o problema da sida não passa pela distribuição de preservativos".

Segundo a Lusa "O continente africano continua a ser o mais afectado pelo vírus da Sida, concentrando dois terços dos infectados com o VIH, que em Angola atinge 190 mil pessoas, de acordo com os dados mais recentes das Nações Unidas.
... "A sida tem um impacto devastador em África, particularmente em países como o Botswana, Suazilândia e África do Sul, os mais afectados em todo o mundo.
"Cerca de 22 milhões de pessoas estão infectadas na África Sub-saariana, onde morrem três quartos das vítimas de sida no mundo inteiro."

A quantas centenas de milhar de mortes equivalerá - na boca do Papa - uma sentença destas contra o uso de preservativo? Como é possível isto na boca de Bento XVI, um Papa inteligente e um prestigiado intelectual?

Na religião de lá:

Com e sem burka.

Rania al-Yasin (nome de solteira) acaba de nos visitar com o seu marido o rei da Jordânia. Palestiniana da Cisjordânia, mudou-se com a família para o Kuwait, onde teve uma educação ocidentalizada. Frequentou a universidade do Cairo e de Genebra (Suíça). Com a invasão do Kuwait a família mudou-se para a Jordânia onde o filho do rei Hussein, Abdullah, a conheceu, com ela casou e fez rainha ao suceder ao pai.
Rania faz um esforçado e corajoso trabalho pedagógico de libertação da mulher da sujeição a que o Islão fundamentalista e as tribos beduínas maioritárias, no parlamento, suas guardiãs, as obrigam. Obrigam à "escravatura".


 

América Latina

Vitória dos derrotados na guerra.

A américa latina está numa evolução interessante. A esquerda tem vindo a conquistar espaço. Uma esquerda por vezes esquisita. De qualquer forma, mais humanizada que as alternativas com quem tem disputado o poder.

Chegou a vez agora de El Salvador virar á esquerda, elegendo Maurício Funes, para presidente, um candidato apoiado pela antiga guerrilha, a Frente Farabundo Marti de Libertação Nacional.

Será que a vitória de OBAMA vem trazer dinâmica a esta tendência evolutiva ou pelo contrário vem de algum modo anestesiá-la?

O eixo equilibrador aqui é, em minha opinião, o Brasil e quando se puser a substituição de Lula tudo poderá complicar-se.

 

De derrota em derrota até...

... o resultado final, a derrota de Ferreira Leite nas legislativas, ou então o mundo estaria de pernas pr'ó ar!

A derrota?

Sim. Ferreira Leite daquela pessoa tão credível, tão qualificada, que os seus poucos amigos que a elevaram a Presidente, entenda-se do PSD, desde logo por um score quase de empate, diziam ser.

Os efeitos dessa credibilidade não se têm reproduzido. E, se alguma tinha, perdeu-a com tiradas menos felizes que têm caracterizado o seu mandato.

Melhorou um pouco, pois deve ter tido algumas lições. Mas não melhorou o suficiente para que o apoio interno no PSD subisse. Já se houve é falar em como evitar grandes prejuízos. Pouca gente dá a cara no seu apoio.

Alguns entusiasmos iniciais esmoreceram. E Ferreira Leite nem da crise tem sabido retirar dividendos.

Etiquetas: ,


 

As Boas Práticas

Tanto se apregoam as boas práticas, que esta vinda do País vizinho Telefónica reduce hasta 20 euros la factura de sus clientes en paro bem podia ser por aplicadacá.

Sempre seria um bom aconchego à crise que nos cerca. Porque não imitar a Telefónica?

As operadoras a operar em Portugal têm boas margens comerciais para fazer esta gracinha que bem simpática seria às nossas algibeiras.

Etiquetas: ,


 

Encontro Obama-Lula

Leituras possíveis Encontro de Lula com Obama reforça liderança do Brasil no mundo ...Esta é, pelo menos, a do partido de Lula da Silva

Etiquetas: ,


 

Exemplo perfeito de integração de crianças da raça cigana

Será que não querem ver mesmo? Aquilo no agrupamento de Escolas Abel Varzim corre tudo às mil maravilhas. É só "integração" e o seu contrário: as crianças ciganas a aprender em contentores, separados das outras crianças.

Integrar agora tem um novo modus operandi: integro separando, Bem visto os linguistas ainda não se tinham apecebido desta dinâmica! É uma "descoberta" de guiness á portuguesa.

O que falta é o Ministério da Educação actualizar as novas edições dos dicionários de português.
Deixa-se ainda uma sugestão. Para mais actualizações do dicionário, o melhor é recorrer mesmo ao tradutor do Magalhães.
Podiam dar outra explicação. Mas esta não. Não mesmo.

 

OBAMA decidiu e bem confiscar bens de Madoff e mulher

Que bom exemplo a aplicar por cá, onde até houve quem "se divorciasse"após as falcatruas feitas e os bens em nome da mulher.

Mas, em Portugal, mantemo-nos entretidos a gastar o tempo aos inquéritos! Até a AR parece que não tem mais que fazer.

E que mau seria que ainda se injectasse mais dinheiro no BPN e no BPP!!

Até os ex's do BCP tendem a ser "inocentados". Também nada fizeram que o regulador não soubesse. Que bom país para alguns viverem de manobras "ajuizadas", com todo o consentimento ou fechar de olhos de quem não devia, é claro!

Etiquetas: ,


2009-03-16

 

"É altura de os bancos assumirem as suas responsabilidades"


"As instituições financeiras não podem escapar quer à responsabilidade por terem criado a presente crise, quer à responsabilidade para encontrar soluções", afirmou a Comissária responsável pela Concorrência, Neelie Kroes, numa conferência em 14 de Março.

A Comissária disse que os bancos têm que substituir "estruturas insustentáveis, com demasiados riscos por formas mais simples, com menos riscos, mais prudentes e mais transparentes".


"Visamos equilibrar as contas através de reestruturações ou do encerramento de bancos, por forma a que as instituições sobreviventes tenham melhores perspectivas de um futuro saudável. Esta é a via mais clara para a estabilidade no sector, com mais empréstimos para a economia real e um regresso ao crescimento económico.”

A Comissária indicou que era necessária mais transparência para retomar a confiança: "A fim de proteger os contribuintes e manter uma concorrência leal, os dinheiros públicos não estarão disponíveis para os bancos que não queiram, em contrapartida, dar a conhecer as suas contas”.

A Comissária apelou ainda a uma maior liderança do sector bancário "no sentido de tomar a iniciativa de restaurar a confiança nos patrimónios que detêm” e de desenvolver novas ideias para a banca transnacional.
(Desenvolvimento em SPEECH/09/117 e MEMO/09/109)

Etiquetas: ,


 

Um telefone "incontinente"

Mais ou menos há cerca de um ano mudei de operador de telefone fixo: da PT para a Zon.

Objectivo: poupar cerca de 10 euros/mês. De facto, estou a poupar, tenho pago menos. Só que com a Zon apenas acedi a um telefone "incontinente", pois durante o dia tem várias interrupções de funcionamento. Ainda agora está numa das suas interrupções e tem períodos mais graves que outros. Presentemente, anda assim há uns dias...

Penso eu de que. ...

Etiquetas: ,


 

Coelhinhos de Louçã reproduzem-se em Bruxelas


“Imaginem que se colocam dois coelhos numa cova; de certeza que vão surgir coelhinhos. Mas experimentem pôr duas notas de 100 euros, juntas uma com a outra, numa caixinha; acham que vão surgir muitas notas de 20 euros dessa caixinha?” Louçã dixit.

É verdade. Encontrei-os em Bruxelas e já se reproduziram numa das ruas mais "in" da downtown junto de uma praça que atravessa a Avenue Louise, conhecida sobretudo pelas lojas de Marca. Ou seja, os coelhos do dr. Louçã têm gostos caros. Não sei se eram macho e fêmea, ou se algum deles recorreu a "barriga de aluguer" mas os efeitos estão aí. Reproduziram-se, ainda por cima, em Bruxelas, centro de decisão por excelência. Mas é estranho que os coelhinhos sejam "laranja". Alguma metamorfose ou coligação contra Sócrates, só pode ser.

Mas os Coelhinhos são lindos e feitos de papel machê, palavra originária do francês "papier mâché", que significa papel picado, amassado e esmagado.


Mas digam lá se os coelhinhos não são lindos!

Etiquetas: ,


 

Brasil -13ª potência no turismo mundial

Em conferência de imprensa realizada ontem em Berlim, o WTTC - World Travel and Tourism Council apresentou uma estimativa da conta satélite do turismo para 2009, elaborada pelo Oxford Economics, relativa a 181 países.

Para o ano de 2009, o WTTC prevê uma retracção no PIB do turismo mundial de 3,5%, e para o Brasil apenas -0,4%. Daí essa subida no raking para 13º, quando antes era 14º.

Entre os 10 primeiros países do Mundo em criação de emprego líquido durante 2009, o Brasil ocupa a 5ª posição e nas exportações de produtos de turismo a 8ª entre os 181, entendidas estas como os gastos de estrangeiros em produtos e serviços ligados ao turismo, realizados no Brasil.

O relatório da conta satélite tem outro grande interesse pois integra pervisões e cenários para os próximos 10 anos.

Fonte: EMBRATUR (13/3/2009)

Etiquetas: ,


2009-03-15

 

पीयूष "बॉबी" जिन्दल

Não percebeu? Então é porque você não percebe nada de Hindi. É Piyush Jindal o "Obama dos Republicanos". Um rapaz de 37 anos, bem parecido, muito vivaço e Governador do Estado da Louisiana ( o do Katrina ) desde o início de 2008 . Mudou o primeiro nome Piyush (nome indiano que não daria nada para eleições nos EU) para "Bobby". Bobby Jindal é uma estrela em rápida ascensão no firmamento do Elefante. Mudou também de religião do hinduísmo para o catolicismo (Protestante duma qualquer seita que esteja a dar era mais garantido para o voto. Digo eu.)

É filho de indianos que vieram para os State no idos 70 e foi escolhido pelo Partido Republicano para responder ao primeiro discurso à nação do Presidente Barak Obama. O homem tem pinta, à primeira vista. O pior é "ser grande admirador de Reagan", estar contra o aborto (mas não contra métodos anti-concepcionais, vá lá), contra as experiências com células estaminais e outras coisas muito conservadoras que no Estado da Louisiana podem dar votos. (Saber mais? Sobre o discurso aqui, sobre o Bobby na Wiki. Mas para quem prefira levar o caso a rir tem aqui em baixo o grande Show.


Find more videos like this on www.truveo.com.

Etiquetas: ,


 

Exposição de Cruzeiro Seixas


Inaugurou no passado dia 5 de Março, na Galeria São Mamede, em Lisboa, uma importante exposição de Pintura e desenho do maior vulto do Surrealismo português: Cruzeiro Seixas.
Esta exposição, denominada "O Infinito Segredo" é composta por cerca de 40 pinturas e desenhos sobre papel de diversas épocas - anos 40 até aos nossos dias.
A exposição estará patente até 2 de Abril.

"Nascido em 1920, Cruzeiro Seixas é, para muitos, o maior expoente do Surrealismo português. Expõe desde os anos 40 e está representado nos principais museus em Portugal, nomeadamente o Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e o Museu do Chiado.

De 1969 a 1974 foi director artístico da Galeria São Mamede, onde pôde apoiar o lançamento de artistas como Paula Rêgo (que viria mais tarde a confessar a grande influência do artista sobre a sua obra), Mário Botas, Raúl Perez, António Areal, Cesariny e Júlio (Reis Pereira) que justamente homenageia com esta exposição; para além de mostrar as primeiras exposições realizadas em Portugal de artistas internacionais com a importancia de Serge Poliakoff ou de Henry Michaux.

Segundo Franklin Rosemont, figura de proa do Surrealismo americano, "... Artur Cruzeiro Seixas, a quem o mundo deve indiscutivelmente tantos dos mais maravilhosos desenhos das ultimas cinco décadas, é também um dos incontestáveis mestres deste Pluriverso em perpétua transmutação. Uma figura principal no movimento surrealista internacional pela segunda metade do séc.XX, ele continua a ser como a presente exposição demonstra, um excelente exemplo e mentor do séc. XXI".


FONTE: http://www.paispositivo.org/

 

Açores - o "negócio" de um produto com defeito

O usual - uma boa regra - na aquisição de produtos com defeito é de o vendedor fazer descontos graúdos na proporção do grau de afectação da qualidade por esses defeitos.

Parece que será esta a forma normal de negócio entre privados. A negociação tem aqui o seu papel.

Quando numa situação semelhante entra o sector público as regras do bom negócio tornam -se esquecidas em portugal, ou melhor dito são metidas na gaveta.

Ontem o Expresso deu como manchete, a ser verdade um caso exemplar. Vejam:

Açores paga €48 milhões por navio cheio de remendos

Atenção: o Governo dos Açores encomendou um navio para transporte de passageiros inter ilhas, sem defeitos, aos Estaleiros de Viana do Castelo por 40 milhões. Não só está atrasada a entrega em cerca de 1 ano, como segundo a entidade que supervisiona a segurança dos navios tem cerca de 100 defeitos graves.

Sinto-me no direito de questionar o Governo de Carlos César. Será que não vai aplicar as regras de negócio nesta aquisição de produtos com defeito? Porquê exijo isso? Porque como cidadão também contribuo algo para os Açores. Por isso quero e exijo que os meus impostos tenham uma aplicação de racionalidade económica em todo o território. NãoNnão Nnão vou contar a história


2009-03-14

 

Universidades Portuguesas

De vez em quando chega-nos alguma notícia agradável. Está é.

10-Fev-2009
De acordo com o "Ranking Web das Universidades do Mundo", feito pelo Conselho Superior de Investigações Científicas, em Espanha, as Universidades do Porto e do Minho estão entre as 300 melhores a nivel internacional.

O ranking é organizado pelo laboratório 'Cybermetrics', do CSIC, cujos 126 centros e institutos distribuídos por Espanha fazem da entidade o maior corpo de investigação no país e do ranking o mais vasto alguma vez organizado, segundo a organização.

 

MIOPIAS


As paragens de autocarro são espaços sociais de desabafos de vidas. Ouve-se tudo e mais alguma coisa. Eis um excelente ponto de encontro dos políticos com a população. Em vez da campanha porta-a-porta escolham as paragens do BUS. Hoje, depois de uma ida ao ginásio algo ridícula (já conto) resolvi sentar-me num banco de espera dos "amarelos" da empresa Horários do Funchal.
Saúde era tema de conversa. Um homen falando baixinho dizia: "isto bateu no fundo, enquanto estiver na Madeira...nem digo o resto...é uma". Pois, todos perceberam. Mas a procissão ainda nem saíu da igreja porque só agora o espectáculo começou.
Uma das mulheres reclamava o pagamento de 4 mil euros por uma operação às cataratas numa clínica privada quando, afinal, poderia ter ido ao público, até porque o caso não era urgente e a lista de espera aceitável. Só que a doutora, que faz público e privado, sócia de clínica, pintou o quadro tão negro que isto de poder ficar cego (ou ver em duplicado) não se brinca e lá foram 4 mil.
Só depois é que a mulher percebeu o "negócio". Tarde demais. E parece que continua a ver pouco. Estava furiosa. Pelo menos, isso! Já conta.
Sou míope e gosto. Só vejo quando quero. É uma grande vantagem.
Mas sou um desastre quando resolvo colocar os óculos no alto da cabeça. Tenho uma relação difícil com as lentes. Sempre tive. A culpa foi minha. Aos 11 anos, no liceu, tinhamos inspecção médica e uma turma inteira resolveu dizer ao oftamologista que não via. Foi-nos receitado óculos e escolhemos todas os aros da moda. Enfim, tontices de início da adolescência. Agora, sim, sou verdadeiramente miope mas fiquei com tique. Só tiro os óculos da cabeça quando quero porque acho que conheço os amigos só pelo traços.
Engano. Hoje ao sair da secção feminina do ginásio, deparei-me com um check up masculino. O personnal trainer acabara de medir-lhe a tensão arterial e iniciava outra medição à volta da cintura. Parece que a fita métrica tinha dificuldade em dar a volta. Barrigas. Quando olhei "reconheci" a pessoa. Não! Confundi a pessoa mas era tarde demais pois já lhe tinha dito: "Não te preocupes que ainda chegas a miss".
Só aí percebo que não conheço o homem de parte nenhuma. Peço desculpa...explico a confusão e desato a subir as escadas. Há muito tempo que não ria até às lágrimas.
Bendita miopia.

Etiquetas: ,


 

Disfarçando e torneando a questão

BERNA, Suíça (AFP) — Suíça, Áustria e Luxemburgo seguiram ontem os passos da Bélgica, Liechtenstein e Andorra ao anunciar uma flexibilização do seu sigilo bancário, cedendo às pressões do G20, que faz desta questão uma das suas prioridades.

Os redutos do sigilo bancário na Europa cederam sucessivamente à pressão de Washington e Bruxelas, que ameaçam esses países de serem inscritos numa "lista negra".

A Suíça, a primeira praça em termos de gestão de fortunas, alinha assim com as normas da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômicos (OCDE) em termos de ajuda administrativa ao anunciar que está disposta flexibilizar o sigilo bancário.

Estas concessões chegam poucos dias antes da cúpula do G20 em Londres em 2 de abril, onde se espera que as grandes potências industrializadas e emergentes intensifiquem sua campanha contra os paraísos fiscais.


 

Discriminação racial nas taxas de juro dos empréstimos

Dois grandes bancos HSBC et Wells Fargo accusées de pratiques racistes sistemáticas na concessão de taxas de juro mais elevadas a empréstimos contraídos por negros americanos.

A ONG que faz esta acusação declaraou intenção de levar estes bancos a tribunal.
 

Vale e Azevedo é o máximo

... Não só burla a UNITA em 1 milhão de euros, como burla ainda o "conde" alemão que serviu de isco à UNITA em 1,3 milhões, embolsando assim 2,3 milhões de euros.

É o máximo. E como consegue isto?

Inventa que vai fazer um investimento em Angola em matéria prima para biocombustíveis, convence o alemão a ir a Angola convencer a UNITA de que há esse investimento, pois ele alemão já se convenceu de que é associado de Vale nesse investimento. Melhor? Não há. è tudo muito simples.
Mas muita gente parece ter querido ser vigarizada. Então já não sabiam quem era Vale e Azevedo?

2009-03-13

 

ALEGRE alegre ALEGRE alegre ALEGRE


-Já sentiu?
- Já senti.
Uuuuffff... "Já sentiu". "Pronto, já sentiu" e aliviado o povo que parara atónito em frente da montra que mostrava a SIC Notícias, a dar a notícia em primeira mão, seguiu caminho aliviado - já passava das 19h - de regresso a casa.
Não é nada de íntimo. É Manuel Alegre. Que é e não é. Que sai e não sai. Que vai e não vai. E o país... a braços com o furacão da GRANDE CRISE, não sabe se há-de soçobrar ou não com esta dúvida sistemática de Manuel. Alegre sai do PS? Não sai. Sai? Não sai.
E o MIC? O MIC, Senhor?!
A jornalista interrogava Manuel Alegre. Já sentiu sinais de José Sócrates a demarcar-se das declarações de José Lello? Já senti. Respondeu, conciliador, Manuel Alegre. Que sem esses sinais seria difícil aceitar a sua continuação como deputado na próxima legislatura.
Ora é bom que continue como deputado. Porque Alegre é um bom poeta e bom político e o seu lugar é no parlamento. E é tanto assim que aí pelos fim da década de 80 (mais ou menos) a distrital de Coimbra esqueceu-se de meter Alegre na lista de deputados. Alegre ficou tão indignado, tão estupefacto, tão assombrado e sem explicação para tão inexplicável facto que veio para os jornais dizer que nem no tempo da PIDE tinha sofrido tamanha afronta. Nem no tempo da PIDE tinha sofrido tamanha afronta?!...
Ainda bem que a situação está ultrapassada. Pelo menos até amanhã de manhã.
Manuel Alegre sentiu. Sinais de José Sócrates. A demarcar-se intimamente. Das blasfémias de José Lello. Que o acusara de qualquer coisa grave de que já não me lembro.

Etiquetas: , ,


 

O Cenário da Nacionalização da Banca

Já quase não faz sentido esta questão, uma vez que a urgência de intervenção para salvar bancos da falência levou vários governos a intervir através de nacionalizações. O objectivo central destas operações de salvamento era o de permitir ao sistema de crédito funcionar de novo para reduzir os danos da crise financeira na economia real.

Mas tal objectivo está longe de ser atingido. O FMI estima que os bancos americanos e europeus vão ter necessidade de mais injecções de dinheiro em 2009 e 2010, para além dos esforços dos governos até então e das outras medidas de apoio, como as garantias sobre os depósitos, etc.

Então porque não avança o poder público de forma clara para a nacionalização a 100%?

Será que a nacionalização resolve de forma mais apropriada a limpeza dos activos “tóxicos”?

Será que resolve a questão importante de quem vai pagar as perdas?

Agnés Benassy-Queré, Directora do CEPII- Centro de Estudos Prospectivos e Informações Internacionais recomenda tomar como modelo as medidas adoptadas em 1990 a quando do salvamento do sistema financeiro sueco em que o Estado Sueco tomou o controlo dos estabelecimentos bancários para os reestruturar e revender depois e a operação não acarretou encargos muito dolorosos para as finanças públicas: “ uma vez o banco nacionalizado, o activo e passivo ficam nas mãos do Estado e então a valorização dos activos duvidosos tem menor importância relativa. O Estado pode criar mais depressa uma estrutura de saneamento para que a parte sã do banco se desenvolva mais depressa, financie mais rapidamente a economia e assim o possa revender em condições económicas mais vantajosas - explica Agnés-Queré.

Etiquetas: ,


 

Atenção, a Banca continua com informação duvidosa

Ainda hoje recebi de um conceituado banco europeu em que tenho conta o seguinte: Invista a 9% TANB.

Nos tempos que correm, somos levados a pensar que não é mesmo assim. E, de facto não é.

Depois de muito esperar ao telefone e das perguntas que fui colocando ao dito banco alemão a situação é a seguinte: trata-se de uma aplicação de risco em que o capital investido não é garantido e só no primeiro ano o Banco garante a taxa anunciada. Depois, depende da variação da evolução, dentro de certos parâmetros, do leque de acções e obrigações que compõem a aplicação.

É caso para dizer como pode o Estado garantir estas aplicações (haverá sempre uns incautos a pensar que podem auferir umas massas valentes), como querem alguns dos que alinharam com o BPP?

Etiquetas:


2009-03-12

 

A "depressão" de Medina Carreira


Nos anos 80, mal Sarsfield Cabral aparecia no écran da televisão, leia-se RTP, já a minha mãe dizia em voz alta para toda a família:
" Lá vão os preços aumentar outra vez...".

Esta analogia entre Sarsfield Cabral e a inflação ficou-me na memória.
Isto vem a propósito de uma outra história bem mais recente.

Andei uns dias fora da ilha mas logo que aterrei e me estendi no sofá com o telecomando na mão, fazendo zapping à crise, assustei-me. Não há nada a fazer por este Portugal. Ninguém presta. Nada do que se faz tem um pingo de mérito.
Comecei a ficar angustiada. A depressão do professor Medina Carreira, ex-Ministro das Finanças, com currículo na área das finanças públicas, fiscalidade e direito societário, estava a contagiar-me.

Mário Crespo bem tentava um sinal de esperança, qualquer coisa que valesse a pena, que justificasse viver neste país...mas não. Nada. Não sei como é que o Professor Medina Carreira aguenta. Admiro-o.
Mas por muito que puxe pelo Teco e o Neco - dois neurónios formatados para estas discussões - não consigo lembrar-me do que fez Medina Carreira enquanto ministro das finanças. Peço desculpa pela ignorância mas.....(grande pausa) será que foi no tempo em que a minha mãe dizia "lá vão os preços subir outra vez?".
Não sei. Nem quero saber.

Mas dormi muito mal nessa noite. Tive pesadelos com os olhos cerrados do Professor. Com a folha A4 de dados estatísticos a vermelho que arrastam a nossa economia para parâmetros de 1900, tempo reais, vésperas da I República.
Cada vez mais agoniada vi a história repetir-se. O fim dos partidos, a ordem estabelecida por um iluminado a suspender a democracia para meter as contas na ordem... A minha cabeça começou a andar à roda da nora. Burra. E sempre que voltava à direita e à esquerda só via Medina Carreira.

Foi assim que entrei num filme de terror. E os olhos do professor quase cerrados, lábios finos e vincados, presságio de desgraça colectiva, gritava-me no sonho "suas bestas", "corruptos", "este país acabou", "o mundo acabou", "não há solução para nada". Vi-me esfarrapada no juízo final com medo de dizer que era portuguesa. Mesmo assim, aflita, ainda tive tempo de fazer uma última pergunta antes do adeus.

"Será que o Professor poderia explicar como é que as grandes fortunas fogem ao fisco? Não é que eu seja dessa estirpe mas tenho uma curiosidade mórbida de mulher. Que conselho me daria se eu fosse muito, muito, rica?», questionei.

É neste preciso momento que deixo de ouvir a voz do professor. Uma nuvem pairou sobre a sua cabeça, crescendo e envolvendo-o num manto celestial.
Só que nos sonhos tudo é possível. De repente, saltei de um espaço para outro. Era actriz no filme "Um dia de cada vez" de Mike Leign.
Vi-me na pele de Poppy, a professora primária de espírito livre, divertida e anárquica, concentrada e responsável, com sentido de humor. Mas logo acordei desesperada quando, tal como a protagonista, inicio as aulas de condução.
Não é que o professor Medina Carreira era o mal disposto do meu instrutor?
Que pena na Madeira não haver aulas de flamenco.

Etiquetas: , ,


 

Nacionalizar ou não nacionalizar, eis a questão

É um artigo de Martin Wolf, articulista do Financial Times, traduzido de forma livre, a partir da sua publicação no Le Monde.

O senador republicano Lindsey Graham, o ex-presidente do Federal Reserve, Alan Greenspan*, e James Baker, segundo secretário do Tesouro do governo Ronald Reagan, são a favor. Ben Bernanke, actual presidente do Fed, e a Administração Democrata são contra. O que os divide? A nacionalização da banca.

Em 1978, Alfred Kahn, conselheiro do presidente Jimmy Carter, usou a palavra "depressão". O presidente ficou de tal modo furioso que Kahn passou a chamá-la de "banana". Mas a recessão que Kahn previu, acabou por acontecer. O mesmo pode suceder com a nacionalização. Como definir as medidas do governo federal em relação ao Fannei Mae e Freddie Mac, à seguradora AIG e ao que está acontecendo com o Citigroup? A nacionalização não é a nova grande “banana” do sistema financeiro?

Uma boa parte do debate é puramente semântica. Mas, por detrás das palavras, colocam-se, pelo menos, duas grandes questões. Quem vai suportar as perdas? Qual é a melhor maneira de reestruturar os bancos? Os bancos somos nós todos. O debate sempre foi conduzido como se eles pudessem ser punidos sem nenhum custo para o povo. Mas, se eles geram perdas, alguém tem que as suportar. Com efeito, a decisão tem sido a de fazer repercutir sobre os contribuintes as perdas que deveriam recair sobre os credores, uma decisão que poderemos chamar de "socialização"

A segunda grande questão consiste em determinar como reestruturar os bancos. Um ponto está claro: a recapitalização não pode provir das trocas de dívidas por acções como acontece habitualmente em caso da falência.

Esse processo deixa duas soluções: os fundos públicos ou os capitais privados. Na prática, ambas as possibilidades estão pelo menos parcialmente bloqueadas nos Estados Unidos. A primeira, pela reticência dos políticos. A segunda, por uma alargada série de incertezas - sobre a avaliação dos activos tóxicos, o futuro tratamento dos accionistas, e o futuro da economia. Isso torna a alternativa do "banco zumbi" uma saída provável. Aliás, esse tipo de bancos zumbis, descapitalizados também encontra dificuldades para reconhecer perdas ou expandir seus créditos.

A resposta do Tesouro americano consiste em fazer um "teste de solidez" aos 19 bancos americanos com activos superiores a 100 biliões de dólares. Foram solicitados a estimar as suas perdas segundo dois cenários. O pior deles assume, quase de forma optimista, que a grande contracção do PIB será de 4%, na comparação anual, no segundo e terceiro trimestres de 2009. Os reguladores decidirão se é necessário um aumento de capital . As instituições necessitadas lançarão títulos convertíveis em acções junto do Tesouro e terão até seis meses para realizar o capital privado. Se forem mal sucedidos, os títulos convertíveis serão transformados em acções na base do "que for necessário".

Isso, então, é a socialização das perdas que poderia acabar por atribuir ao governo uma quantidade de acções dando-lhe o controlo de certos estabelecimentos, como o Citigroup.

Quais são as vantagens e os inconvenientes desta abordagem, comparada com um controlo directo dos estabelecimentos bancários? Douglas Elliott, da Brookings Institution, sublinha num artigo surpreendente que parte da resposta se prende com saber se os bancos estão insolventes. Se Nouriel Roubini, da Stern School de Nova York, estiver certo (como tem estado até aqui), eles estão. Se Roubini estiver enganado, não estão. Eis a razão porque o professor Roubini sugere que seria melhor esperar seis meses mais para, deste modo, distinguir entre as instituições solventes e insolventes.

Nestas circunstâncias, a ideia de "nacionalização" deveria ser vista como um sinónimo de "reestruturação"o que permitiria reestruturar os activos e as dívidas entre em "bons" e "maus" bancos.

Se for impossível impor perdas aos credores, o governo deveria controlar os bancos por um longo período, antes que eles estejam aptos a retornar ao mercado. A maior reestruturação bancária realizada nos Estados Unidos, antes deste ano, foi o do Continental Illinois, assumido em 1984. Era então o sétimo maior banco e demorou uma década. Quanto tempo demoraria a reestruturação e a venda do Citigroup, com a sua complexa rede global?

Estamos dolorosamente a aprender que os megabancos mundiais são demasiado complexos para ser geridos, demasiado grandes para falhar e demasiado difíceis de reestruturar. Ninguém gostaria de "agarrar" um tal problema Mas, à medida que o mercado de acções piora os bancos devem ser resgatados de um modo sistemático e recapitalizados. Chame-se a isto de “banana”, se quiserem.

* um dos grandes responsáveis por esta crise

Etiquetas: ,


This page is powered by Blogger. Isn't yours?